Home / Notícias / Para mais de mil Municípios, agropecuária é uma das principais fontes de renda

Notícias

14/12/2016

Compartilhe esta notícia:

Para mais de mil Municípios, agropecuária é uma das principais fontes de renda

A agropecuária respondeu por mais da metade da economia em 1.135 Municípios brasileiros em 2014. Os dados fazem parte da publicação Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios 2010-2014, que pela primeira vez divulga os três principais segmentos econômicos em cada cidade. Desse total, 210 estão localizados no Rio Grande do Sul e 144 no Paraná, o que indica a importância dessa atividade no território nacional.

No mesmo ano, 652 Municípios respondiam por metade do Valor Adicionado (VA) da agropecuária no país. O maior deles era São Desidério (BA), com participação de R$ 1,7 bilhão. O VA é a contribuição ao Produto Interno Bruto pelas diversas atividades econômicas, obtido pela diferença entre o valor bruto da produção e o consumo intermediário absorvido por essas atividades.

Segundo o levantamento, a indústria ainda é bastante concentrada no Brasil, especialmente nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Um total de 15 Municípios concentrava cerca de 25% do VA bruto do setor, enquanto outros 3.012 respondiam por 1% do VA da indústria.

A cidade de São Paulo (SP) permanece como o maior polo industrial do país, respondendo por 5,6% do VA da atividade. Entretanto, como sinaliza a publicação, houve uma queda de 6,4% na sua participação desde 2010. Excluindo a administração pública, a capital paulista também concentrava o maior VA dos serviços em 2014 (15,1%). Em 2010, esse percentual era de 16,5%.

Desconcentração

Como explica o material, houve um movimento de desconcentração dessa atividade entre os Municípios. Em 2014, 35 cidades (0,6%) concentravam metade do VA dos serviços no Brasil, ao passo que 2.110 cidades (37,9%) respondiam por 1,0% do setor. Em 2014, 2.298 municípios (41,3%) tinham mais de 1/3 de sua economia dependente da atividade de administração, saúde e educação públicas e seguridade social, a maior parte nas regiões Norte e Nordeste.

Acesse estudo na íntegra aqui

Da Agência CNM, com informações do IBGE


 


Notícias relacionadas