Home / Notícias / Encerrado projeto de gerenciamento de biogás entre Brasil e Alemanha

Notícias

23/02/2017

Compartilhe está notícia:

Encerrado projeto de gerenciamento de biogás entre Brasil e Alemanha

O Projeto Brasil-Alemanha de Fomento ao Aproveitamento Energético de Biogás no Brasil (Probiogás), que teve início em 2013, chegou ao fim neste ano. O encerramento dos trabalhos foi anunciado mutuamente entre a agência alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) e o Ministério das Cidades.

O objetivo do Probiogás foi ampliar o uso energético eficiente do biogás em saneamento básico e em iniciativas agropecuárias e agroindustriais. Além disso, o Projeto se propôs a inserir o biogás e o biometano na matriz energética nacional e, dessa forma, contribuir para a redução de emissões de gases indutores do efeito estufa.

As estratégias utilizadas pelo Probiogás tinham como meta melhorar as condições regulatórias, aproximar instituições de ensino e pesquisa dos operadores de saneamento e fomentar a indústria nacional de biogás.

Desde o início, o Projeto elaborou uma série de materiais técnicos para subsidiar o aproveitamento do biogás. Os cadernos, disponíveis para domínio público na internet, foram divididos em quatro temas: desenvolvimento do mercado de biogás (Biogás); aproveitamento energético do biogás de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), aproveitamento energético de biogás de Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) e aproveitamento energético do biogás de Resíduos Agrosilvopastorais (RA).

Posicionamento da CNM
A Confederação Nacional de Municípios (CNM) esclarece que o biogás é gerado no processo de decomposição da matéria orgânica e é extremamente danoso à camada de ozônio (cerca de 21 vezes mais danoso do que o gás carbônico). Inclusive, para um aterro sanitário ser considerado regular, precisa apresentar a estrutura mínima de impermeabilização do solo, coleta e tratamento do chorume e e coleta e queima do biogás.

A CNM lembra que o aterro sanitário é a única forma de destinação final aceita pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Logo, os Municípios devem, no mínimo, coletar e queimar o biogás. Contudo, é oportuno e vantajoso que o biogás seja aproveitado, podendo gerar energia e outros subprodutos que diminuiriam os custos de operação dos próprios aterros para os Municípios, além de aumentar sua vida útil.

A CNM espera que, com o fim do Probiogás, outras políticas de estímulo à adoção da utilização do biogás sejam implantadas em prol das boas práticas nos Municípios.

Clique aqui para acessar os cadernos técnicos do Probiogás.


Notícias relacionadas