Home / Comunicação / Boa prática: Porto Alegre (RS) cria ferramenta para monitoramento das Emergências

Notícias

08/09/2017

Compartilhe esta notícia:

Boa prática: Porto Alegre (RS) cria ferramenta para monitoramento das Emergências

A prefeitura de Porto Alegre (RS) criou uma ferramenta que torna mais clara a situação das Emergências e Pronto Atendimento na cidade. Além disso, facilita o acesso à população, assim como o processo de encaminhamento de pessoas atendidas pela Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Desde agosto de 2017, qualquer pessoa pode visualizar a situação dos serviços de Emergência e Urgência para cada tipo e local da cidade: emergências adulto e pediátrica, psiquiátricas. Ainda podem ser pesquisadas informações referentes aos Centros Obstétricos do Município e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

A página apresenta a data e o horário de atualização dos dados, que são atualizados em vários períodos do dia por funcionários que trabalham nas Unidades e para isso, houve uma breve capacitação. Todas essas informações ficam disponíveis no site da Secretaria Municipal de Saúde (SMS/POA).

Interesse da CNM
Interessada na iniciativa, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) até a Prefeitura para conversar com um dos idealizadores da ferramenta. A frente da iniciativa está o médico Emergencista, Márcio Rodrigues, da coordenação de Emergências da SMS/POA. O médico falou sobre as vantagens e o processo de desenvolvimento da ferramenta.

Os pontos destacados foram à necessidade do envolvimento das UPAs e Emergências – para atualização e envio dos dados e a relativa facilidade e economicidade de criação do Dashboard feito todo no ambiente e a partir de ferramentas do Google – plataforma base da ferramenta.

De acordo com a prefeitura, a circulação da informação e a praticidade de acessar tais dados no celular ou computador permite qualificar a Rede de Atenção à Saúde e tornando o acesso aos serviços mais organizados.

Exemplo
A CNM destaca que Municípios podem aplicar essa ferramenta, tanto para Unidades Básicas de Saúde (UBS), Farmácias Municipais ou outros serviços de Saúde. No caso das UBS seria possível tornar público a situação da agenda da Unidade, o tempo de espera para consultas com os profissionais da equipe, o estoque diário de vacinas disponíveis, a lotação ou não dos serviços com Acolhimento - atendimento sem agenda prévia - e do horário estendido - atendimentos após as 18hs -, etc.

Para acessar a ferramenta, clique aqui.


Notícias relacionadas