Home / Comunicação / Chuva e seca: Municípios decretam emergência por conta de anormalidades naturais

Notícias

23/10/2017

Compartilhe esta notícia:

Chuva e seca: Municípios decretam emergência por conta de anormalidades naturais

Enquanto regiões como Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste padecem por falta de chuva, o excesso de água já causou prejuízos em 48 Municípios do Rio Grande do Sul (RS). Só nos últimos dias, a Defesa Civil Estadual contabilizou 746 residências atingidas e 19 Municípios afetados por vendavais tiveram situação de emergência reconhecida pelo governo federal, no dia 20 deste mês.

Na contramão, no Rio de janeiro, pelo menos três milhões de pessoas foram afetadas com a falta de chuvas, que tem deixado rios e nascentes secos. Em Brasília, rodízio emergencial deixará áreas do Distrito Federal (DF) sem água por 48 hora. Produtores mineiros também registram prejuízos na atividade pecuária e agrícola deste ano, por conta da seca. 

De acordo com dados do Ministério da Integração Nacional (MI), até 17 de outubro, haviam 168 reconhecimentos no Estado gaúcho por causa dos efeitos da chuva. A Defesa Civil Estadual acompanha a situação das chuvas, que causaram danos a mais de 3 mil residências só no RS. Ainda com base nos dados do governo, Santa Catarina contabiliza 53 reconhecimentos causados pelo excesso de água e no Paraná havia 11 decretos listados até meados de outubro. 

Dentre os problemas registrados pelas intensas chuvas, conforme indica o governo federal, podem ser verificados inundações, enxurradas, alagamentos, ciclones; tornado; granizo; vendavais e deslizamentos. Além da região Sul, no Norte, Amazonas tem 33 decretos de anormalidades, por conta de chuvas, na lista do poder público federal.

Brasil.govEstiagem
Das localidades com mais reconhecimento motivados pela estiagem, este ano, a Bahia registra o maior número decretos comprovados pelo governo, com 229 até a data de divulgação; seguido de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte, com 189 e 153 registros respectivamente. A gravidade do problema pode ser conferida em diversos jornais, que mostrou a seca do rio São Francisco, que é fonte de água para mais de 12 milhões de pessoas.

Um dos maiores e mais importantes, o Rio São Francisco tem 2.800 quilômetros de extensão. Ele nasce em Minas Gerais e banha os Estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. De acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), somando os quatro reservatórios que alimentam usinas hidrelétricas na bacia, administrados pelo governo federal, operava com apenas 6,99% de seu volume útil no início deste mês.

Com informações do MI e da ABr


Notícias relacionadas