Home / Comunicação / CNM quer participar das discussões sobre manutenção dos bancos postais

Notícias

10/10/2017

Compartilhe esta notícia:

CNM quer participar das discussões sobre manutenção dos bancos postais

Correios e Banco do Brasil reiteram o conteúdo da nota conjunta que suspendeu o fechamento de 1.827 agências do Banco Postal previsto para dia 11 de outubro, quarta-feira, em 12 Estados. A decisão foi tomada depois de audiência na Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) do Senado que contou com a presença das direções dos Correios, do Banco do Brasil, da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect).

A nota conjunta das duas instituições anuncia o fechamento do acordo para evitar provisoriamente o fechamento das agências que permanecerão funcionando normalmente até 31 de janeiro de 2018. Nos próximos quatro meses, BB e Correios vão buscar a viabilização da parceria e definir alternativas para manter as agências funcionando.

O motivo alegado para o fechamento do Banco Postal é o alto custo de manutenção e segurança das agências. Os Correios alegam que o aumento de decisões judiciais que obrigam a adoção de ações de segurança adicionais às previstas para correspondentes bancários, como contratação de vigilantes armados e/ou porta giratória, tornam inviáveis a manutenção do serviço nestas localidades, esclarece a nota conjunta.

O Banco Postal é uma parceria com o Banco do Brasil que se vale da rede de atendimento dos Correios para a intermediação de serviços bancários básicos. A CNM mostrou, durante os debates, que em dezenas de o Banco Postal é a única opção de acesso bancário.  Atualmente, o serviço é oferecido em cerca de 6.500 agências dos Correios. No Banco Postal, são oferecidos serviços de abertura de conta corrente (pessoa física e jurídica), cartão de crédito, empréstimos, pagamento de salários, de títulos e convênios e benefícios do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

A CNM transmitiu aos dirigentes do BB e dos Correios que suspender o funcionamento dos Bancos Sociais significa destruir o comércio local, punir o aposentado e o pensionista da previdência e causar um forte impacto negativo na economia de cada um dos municípios que seriam atingidos. As tarefas dessas agências são simples, mas essenciais, como depósitos, saques, abertura de contas e pagamentos. A CNM pediu para ser incluída nas negociações e discussões sobre alternativas para garantir a manutenção dos Bancos Postais.


Notícias relacionadas