Home / Comunicação / Com a chegada de refugiados, população infla e Município roraimense pede socorro

Notícias

06/02/2018

Compartilhe esta notícia:

Com a chegada de refugiados, população infla e Município roraimense pede socorro

A dramática situação da Venezuela não fica restrita às bordas entre países. Muitos venezuelanos da região têm cruzado a fronteira e entrado no Brasil pelo Município de Pacaraima (RR). A cidade, que tem originalmente cerca de 12 mil habitantes, começa a sentir em diversas áreas os efeitos do fluxo intenso de refugiados.

Na tarde desta terça-feira, 6 de fevereiro, o prefeito local, Juliano Torquato, esteve na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM) em busca de ajuda. Acompanhado de seu secretário de Finanças, Marcelo Pacheco, o gestor municipal fez um desabafo:

“Nós não conseguimos mais ofertar serviços básicos para a população, como um pré-natal para a gestante ou mesmo vacinar os brasileiros. E a nossa preocupação é não perder a governabilidade do Município. Nós estamos à beira de um colapso”, disse aflito.

A estrutura, que já era enxuta para atender a demanda existente, permanece a mesma. Entretanto, como frisou o prefeito, o Município não tem recursos para ampliar o atendimento à população atual seja na Saúde ou em outras áreas como Educação e Assistência Social.  

Segundo ele, sua equipe já percorreu um conjunto de ministérios na esperança de obter apoio financeiro. Contudo, as respostas não foram otimistas e fizeram o prefeito buscar a CNM para conseguir levar essa demanda até as autoridades, com a devida urgência que o problema necessita.

Próximos passos

Representante da diretoria da entidade, Eduardo Tabosa, acompanhou atentamente a reunião e demonstrou solidariedade com a situação do prefeito. “Vocês não estão se negando a atender. Vocês estão querendo condições para poder atender a todos”, explicou.

O oficial da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Paulo Sérgio de Almeida, também esteve presente no encontro. Ele comentou que a Acnur tem trabalhado junto à Polícia Federal com o intuito de aumentar a capacidade de registro dos refugiados. E deixou as portas abertas da Agência para orientar os gestores municipais. O Estado de Roraima é um dos que possui escritório regional com esse intuito.  

Como encaminhamento da reunião, foi assumido o compromisso da entidade em levar até os ministros a realidade de Pacaraima. Também foi colocado em pauta um espaço de fala para o prefeito durante a Mobilização Municipalista, marcada para o dia 20 de fevereiro. O evento vai reunir centenas de gestores municipais com o objetivo de debater as estratégias do movimento em 2018.  

 


Notícias relacionadas