Home / Comunicação / Diálogo do Amazonas recebe gestores de outros dois Estados

Notícias

12/09/2017

Compartilhe está notícia:

Diálogo do Amazonas recebe gestores de outros dois Estados

Nesta terça-feira, 12 de setembro, teve início mais uma etapa do Diálogo Municipalista da Confederação Nacional de Municípios (CNM). A cidade de Manaus, no Amazonas, é a anfitriã do evento que traz como pauta os desafios locais para o Meio Ambiente e Saneamento.

Esse já é o segundo encontro que a entidade promove na Região Norte. Antes, o Diálogo Municipalista registrou presença em Belém (PA) por onde debateu questões ligadas ao financiamento da Educação. Contudo, as portas do evento estão abertas para receber gestores de outros estados.

A prefeita de Ulianópolis (PA), foi a primeira gestora a chegar no encontro. Seu Município está localizado a mais de três mil quilômetros de Manaus. Durante entrevista para a Agência CNM, ela contou que venceu a longa distância em busca de conhecimento.

Um dos principais temas de interesse era a destinação dos resíduos sólidos. “Nós que somos um Município pequeno temos muitas dificuldades. Temos áreas propícias para receber o lixo, já estamos trabalhando com a coleta seletiva. Estamos caminhando, mas esbarramos no financiamento para poder levar isso adiante”, relatou a prefeita.

Ela, que esteve no Seminário Novos Gestores ao final de 2016, disse ter elaborado um projeto municipal sobre o tema, em tramitação na Câmara de Vereadores local. Todavia, enfatizou que as pequenas cidades com a dela não dispõem de recursos suficientes para eliminar os lixões.

Ag. CNMBoas práticas

O Município de Cerejeiras, em Rondônia, também já começou a dar alguns passos para avançar na questão dos resíduos sólidos. Como explicou o prefeito, Airton Gomes, a cidade acabou com os lixões e hoje destina os resíduos para um aterro sanitário, distante a 120 quilômetros de Cerejeiras.

“Levamos todo o lixo para Vilhena [local onde fica o aterro]. A gente ajudou a criar a associação dos catadores, que nos ajuda a reciclar o lixo. A população tem entendido e apoiado o trabalho dos catadores. Eles também fazem a coleta do nosso lixo. Optamos por terceirizar o serviço”, revela.

Gomes adiantou que pretende, já no próximo ano, começar a implementar a compostagem no aterro. “Isso vai diminui nossos custos significativamente. Cerca de 60% do nosso lixo é orgânico, tem como compostar e virar adubo orgânico”, complementou o prefeito. O material orgânico deverá auxiliar agricultores locais.

Problemas comuns

Apesar dos avanços, o prefeito também pontuou os custos elevados em manter essa estrutura. “Aqui na Região Norte as distâncias entre uma cidade e outra são longas, o que aumenta os custos com transporte. Além disso, pagamos caro pelo petróleo, usados nos nossos caminhões e máquinas para dar a destinação correta ao lixo”, destacou.

Foi o que confirmou o vice-prefeito de Itaquatiara (AM), Gustavo Braz. Em sua fala, ele comentou ainda que o tema preocupa o Município, que estuda um novo local para depósito dos resíduos sólidos.

Esse é um dos temas que será aprofundado no Diálogo Municipalista em Manaus durante os dois dias de trabalho. O evento também traz espaço para falar da pauta política, compartilhar boas práticas e projetos inovadores, entre outros. 

Confira a programação completa no hotsite

www.dialogo.cnm.org.br


Notícias relacionadas