Home / Comunicação / Em entrevista ao O Globo, Ziulkoski defende aprovação da reforma da Previdência

Notícias

14/07/2017

Compartilhe esta notícia:

Em entrevista ao O Globo, Ziulkoski defende aprovação da reforma da Previdência

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, concedeu entrevista ao jornal O Globo. Ele destacou a importância de o Congresso Nacional aprovar a reforma da Previdência. Para a entidade, a aprovação da medida dará fôlego a boa parte dos Municípios brasileiros, especialmente diante do grave quadro fiscal enfrentado pelas administrações locais.

Ele destacou que a reforma, apesar de não ter uma boa recepção por parte da população, é importante para a manutenção da gestão pública. “Nós apoiamos a reforma e vamos trabalhar muito pela sua aprovação, porque não há outra saída. A reforma pode desagradar aos cidadãos, mas ela é fundamental para os gestores públicos”, disse Ziulkoski.

Em entrevista coletiva concedida em maio sobre o tema, o presidente da CNM ressaltou que, com a reforma, as prefeituras terão mais verbas para investimentos voltados a áreas como saúde, educação e assistência social. Para a entidade, a proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016 tem impacto imediato na melhora dos fundos próprios dos Municípios, pois vai reduzir os custos da Previdência e as alíquotas, podendo levar a reduções sobre a folha de pagamento dos servidores municipais.

Proposta
O texto da PEC foi aprovado pela comissão especial em maio. A reforma aprovada fixa idades mínimas de aposentadoria de 62 anos para a mulher e 65 anos para o homem, mas essas idades serão alcançadas até 2038. Também será elevado gradualmente o tempo de contribuição mínimo de 15 para 25 anos.

Além disso, a matéria prevê que quem já está no mercado de trabalho terá que cumprir um pedágio de 30% sobre o período que faltar para completar os tempos de contribuição atuais: de 35 anos para o homem e 30 anos para a mulher.

Também ao O Globo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que espera aprovar a reforma neste ano. Ele admite nos bastidores, no entanto, que as chances de aprovar o texto da comissão são pequenas. A opinião é dividida com líderes do governo.

Veja aqui a matéria completa

Agência CNM, com informações do O Globo


Notícias relacionadas