Home / Comunicação / Maio Amarelo: campanha chama atenção para alto índice de mortes no trânsito

Notícias

26/04/2017

Compartilhe esta notícia:

Maio Amarelo: campanha chama atenção para alto índice de mortes no trânsito

Chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes no trânsito em todo o país é o objetivo da Campanha Maio Amarelo. A ação, coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil, terá como tema esse ano “Minha Escolha Faz a Diferença no Trânsito”.

De acordo com os idealizadores, a iniciativa pretende estimular a promoção de atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

A marca que simboliza o movimento, o laço amarelo, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata.

Segurança no Trânsito
A Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança no Trânsito. O documento foi elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

De acordo com o documento, são três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do Produto Interno Bruto (PIB) de cada país.

Planos
Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 – passando para a quinta maior causa de mortalidade – e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

Boas Práticas
A Confederação Nacional de Municípios (CNM) orienta os Municípios da importância das ações, mesmo aqueles que não têm o trânsito municipalizado devem fazer campanhas educativas para motoristas, pedestres, ciclistas, motociclistas e a população, conscientizando sobre o comportamento mais seguro no trânsito.

O Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran/ES) reuniu representantes de vários Municípios do Estado no dia 23 de março, para apresentar as ações do órgão previstas para o mês de maio, durante o Maio Amarelo, e fazer um convite para que todos promovam, nos seus Municípios, atividades voltadas para a educação no trânsito.

Envolvimento
A iniciativa incentivou os representantes municipais a realizarem ações em escolas e nas ruas, convidarem as empresas a participarem das atividades e iluminarem prédios públicos na cor amarela. Além disso, foi apresentado Movimento “Rua Coletiva, uma convivência melhor a cada esquina”, lançado pelo Detran do ES no ano passado e que continua neste ano com o objetivo de incentivar a gentileza e a boa convivência, para que todos tenham um trânsito mais humanizado e seguro.

Os Municípios podem acessar o material de divulgação disponível no site do Denatran

 

Saiba mais sobre o Maio Amarelo aqui


Notícias relacionadas