Home / Comunicação / Campanha das Nações Unidas para celebração do Dia Mundial da Água é sobre águas residuais

Notícias

22/03/2017

Compartilhe está notícia:

Campanha das Nações Unidas para celebração do Dia Mundial da Água é sobre águas residuais

No dia 22 de março, nesta terça-feira, é celebrado internacionalmente o dia da água. A escolha da data partiu de uma demanda durante a realização da Conferências das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, a Eco 92 no Rio de Janeiro.

Desde então, todos os anos as Nações Unidas escolhem um tema que é o foco da campanha mundial, com o intuito de fomentar ações relacionadas a preservação e a gestão responsável da água. Em 2017 o tema é: Águas Residuais e o desafio é fazer frente a crise de água em se vivemos hoje em dia.

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) trabalham com o objetivo 6 Água limpa e Saneamento direcionado a temática da água e, entre as metas, a de número 6.3 trata das águas residuais, objetivando “melhorar a qualidade da água, reduzindo a poluição, eliminando despejo e minimizando a liberação de produtos químicos e materiais perigosos, reduzindo à metade a proporção de águas residuais não tratadas e aumentando substancialmente a reciclagem e reutilização segura globalmente”.

A América Latina possui o maior reservatório de água doce do mundo. Brasil, Colômbia e Peru lideram essa lista, porém apenas 2,5% da água do mundo está disponível para consumo. O principal desafio é a gestão responsável das águas residuais e o não desperdício durante o transporte.

Mudanças climáticas na América Latina
O fenômeno do El Niño é o fator climático que causa a maior instabilidade climática na América Latina. No ano de 2016, a Colômbia enfrentou uma das piores secas de sua história. Na ocasião 124 Municípios foram afetados com o desabastecimento. No mesmo ano, o México também foi afetado pela seca, registrando estado de calamidade em 699 Municípios, segundo a Comissão Nacional da Água (CONAGUA).

Segundo o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA em inglês), o El Niño afeta cerca de 60 milhões de pessoas no mundo.

Este ano, o Peru tem sido um dos principais países da região que está sofrendo as consequências no El Niño. O fenômeno aquece a superfície marinha do litoral peruano ocasionando um grande fluxo de chuvas. Segundo o último informe do governo, o país já regista cinco mortes e 20 desaparecidos, sendo mais 630.000 pessoas afetadas.

Transposição do Rio São Francisco
No Brasil, a seca é um problema constante na região nordeste, que leva à pobreza e à fome. A região apresenta os menores índices de chuva em âmbito nacional. Os rios que abastecem a região acompanham os regimes de chuva intermitentes, ou seja, desaparecem em períodos prolongados de seca.

O Rio São Francisco é a principal fonte de água da região, porém sua extensão não abrangia todos os estados que são afetados com a seca. Na semana passada, foi entregue o eixo leste da obra de transposição, chegando ao reservatório localizado no Município de Monteiro, na Paraíba.

A prefeita Anna Lorena comentou sobre os benefícios da transposição para o seu Município. “As obras trouxeram esperança para a população, na zona urbana a agua chegava uma vez por mês. Agora vamos ter agua com mais qualidade e mais dignidade no dia a dia.”

Os benefícios vão além. A prefeita destaca que a chegada da água poderá atrair empresas para a região além de beneficiar os agricultores rurais que ainda aguardam pela distribuição da água. A principal fonte de renda dos Municípios é a caprinocultura e a água é fundamental para a alimentação dos animais. “A distribuição da água será a redenção para a população,” destacou Lorena.


Notícias relacionadas