Home / Comunicação / AMAI é presidida, pela primeira vez, por uma mulher e celebra participação feminina na política

Notícias

07/02/2019

Compartilhe esta notícia:

AMAI é presidida, pela primeira vez, por uma mulher e celebra participação feminina na política

AMAI Gestora na rede de saúde, Eliéze Comachio foi eleita a primeira presidente mulher da Associação dos Municípios do Alto Irani (Amai), que completou 40 anos com 14 entes municipais associados. Prefeita de São Domingos (SC), foi secretária de Saúde em 2009 e assumiu o comando de uma das 21 associações do Estado de SC nesta semana para a gestão 2019/2020. “Durante praticamente mais da metade da vida cuidei de pessoas na área da saúde. Apesar de estar a frente de uma pasta tão difícil, que mexe com esse dom precioso que é a saúde, fui me construindo também como liderança política”, conta.

Segundo Eliéze, a convivência com mulheres na gestão pública incentivou e gerou a possibilidade de se tornar a primeira mulher prefeita em 56 anos de emancipação do Município. Em 2018, apenas 23 mulheres foram eleitas prefeitas no Estado. “Avançamos muito, seja na área da agricultura, que vem construindo lideranças, nos espaços de poder, comerciante, professora, dona de casa, empreendedora, e também dentro da política”, comemora.

Para a representante da Amai, a busca por igualdade de oportunidades, na questão salarial e de direitos é diária e as conquistas surgem em rodas de conversas, tomada de decisões e na maior participação feminina em cargos públicos. “Podemos, enquanto mulher, contribuir muito para a construção da sociedade e dos Municípios com nossa visão, desejos, sensibilidades, e sem ter medo de assumir novos desafios. Sabemos que temos igual capacidade para ajudar e assumir qualquer espaço de poder”, finaliza.

Engajamento da mulher
Segundo a Amai, desde a conquista total do voto e candidatura feminina, há mais de 70 anos, muitos obstáculos persistem e o número de representantes é baixo. Nas eleições de 2014, último dado lançado no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos 1.035 cargos para deputado estadual, apenas 11% foi preenchido por mulheres. O número reduz ainda mais em relação ao cargo federal, com apenas 9,94% das vagas, e sobre na posição de senador, em que 18,5% das 27 vagas foram ocupadas pelo sexo feminino.

CNMA entidade municipalista destaca ainda que, em 2019, apenas uma mulher foi eleita governadora, “coincidentemente ou não, no estado do Rio Grande do Norte, primeiro Estado a reconhecer e eleger uma prefeita mulher”. Atualmente, dos 14 Municípios que compõe a Amai, dois são regidos por mulheres (14,24%): Ipuaçu e São Domingos.

Movimento nacional
Para contribuir com o debate e inserir as mulheres nas lutas da gestão local, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) criou o Movimento Mulheres Municipalistas (MMM) em 2017. Além de promover encontros e participar de eventos em diversas localidades do país e do mundo, o MMM integra o conselho político da entidade, responsável pelas decisões que guiam a atuação da CNM nos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo.

Na XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que ocorre de 8 a 11 de abril, haverá um painel dedicado às mulheres e uma homenagem histórica à participação feminina na política, no Museu do Municipalismo. São esperadas gestoras de todos os Estados, incluindo prefeitas, secretárias e vereadores, deputadas e senadoras federais, ministras e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Da Agência de Notícias CNM com informações da Amai


Notícias relacionadas