Home / Comunicação / CNM apoia e pede ajuda dos gestores em pesquisa que vai medir nível de propagação do coronavírus no Brasil

Notícias

18/05/2020

Compartilhe esta notícia:

CNM apoia e pede ajuda dos gestores em pesquisa que vai medir nível de propagação do coronavírus no Brasil

teste rápido EBCA Confederação Nacional de Municípios (CNM), o Ministério da Saúde e a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) firmaram uma parceria para aplicar a Pesquisa de Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (Epicovid-19). O estudo será realizado em 133 Municípios com as maiores divisões demográficas em todas as regiões do país. Serão testadas 250 pessoas em cada cidade selecionada. O presidente da entidade, Glademir Aroldi, pede o apoio de todos os gestores e da população na coleta de dados desse importante levantamento, que pretende mensurar a propagação do coronavírus e será realizado em etapas.

Além de mapear o predomínio do coronavírus, a pesquisa vai avaliar a velocidade de expansão da doença no país, levantar a proporção de pessoas com anticorpos para a Covid-19 e analisar a evolução de casos na população brasileira, por meio de uma amostragem de participantes nessas 133 “cidades sentinelas” escolhidas de acordo com os dados censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ao todo, serão testadas para o novo coronavírus 99.750 pessoas dos Municípios selecionados.

O estudo já é considerado o maior já feito em nível mundial para mensurar a prevalência da Covid-19. Com as informações coletadas, será possível determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas; avaliar os sintomas mais comuns; obter cálculos precisos da letalidade da doença; estimar recursos hospitalares necessários para o enfrentamento da pandemia, bem como permitir o desenho de estratégias de abrandamento das medidas de distanciamento social com base em evidências científicas.

Primeira etapa disponível
As pessoas serão entrevistadas e testadas em casa, por meio de um sorteio aleatório. Para isso, a CNM elaborou uma programação especial de ações a serem realizadas em conjunto com o Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPel que coordena o estudo. A pesquisa incluirá três inquéritos populacionais, realizados a cada duas semanas por meio de visitas domiciliares, conduzidas por equipes do IBOPE. A primeira etapa da pesquisa iniciou no dia 14 de maio e foi prorrogada até a terça-feira, 19 de maio. Dessa forma, a CNM solicita que os gestores dos “Municípios Sentinelas” apoiem as equipes de pesquisadores na coleta dos dados.

“As medidas restritivas e de isolamento social permanecem em execução em grande parte do país, mas estamos apoiando a pesquisa realizada pela UFPel no território nacional e vamos mobilizar os gestores dos 133 Municípios selecionados com a finalidade de garantir sua realização e agilidade na coleta dos dados. Os resultados dessa pesquisa irão subsidiar as ações de enfrentamento a essa pandemia”, explica Aroldi.

O reitor da UFPel, Pedro Hallal, destaca que o levantamento vai permitir aproximar mais da realidade do número de casos da Covid-19. “Todas as estatísticas oficiais são baseadas em casos confirmados, os quais representam apenas uma parcela, provavelmente ínfima, em comparação com a realidade do número de casos na população. Por isso, fazemos a analogia com o iceberg. Queremos enxergar para além dessa pequena parte aparente, que são os casos notificados, e conhecer a real proporção de pessoas atingidas pela infecção”, explica reitor da UFPel, Pedro Hallal. A CNM vai divulgar em seu portal cada etapa da programação da pesquisa. Fique atento.

Confira a lista de cidades incluídas no estudo:

Sub-Regiões Geográficas Intermediárias do Brasil por Região e UF (133)

Norte (22)

Acre (2): Rio Branco, Cruzeiro do Sul
Amapá (2): Macapá, Oiapoque-Porto Grande
Amazonas (4): Manaus, Tefé, Lábrea, Parintins
Pará (7): Belém, Castanhal, Marabá, Redenção, Santarém, Altamira, Breves
Rondônia (2): Porto Velho, Ji-Paraná
Roraima (2): Boa Vista, Rorainópolis-Caracaraí
Tocantins (3): Palmas, Araguaína, Gurupi

Nordeste (42)

Alagoas (2): Maceió, Arapiraca
Bahia (10): Salvador, Santo Antônio de Jesus, Ilhéus-Itabuna, Vitória da Conquista, Guanambi, Barreiras, Irecê, Juazeiro, Paulo Afonso, Feira de Santana
Ceará (6): Fortaleza, Quixadá, Iguatu, Juazeiro do Norte, Crateús, Sobral
Maranhão (5): São Luís, Santa Inez-Bacabal, Caxias, Presidente Dutra, Imperatriz
Paraíba (4): João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa-Cajazeiras
Pernambuco (4): Recife, Caruaru, Santa Talhada, Petrolina
Piauí (6): Teresina, Parnaíba, Picos, São Raimundo Nonato, Corrente-Bom Jesus, Floriano
Rio Grande do Norte (3): Natal, Caicó, Mossoró
Sergipe (2): Aracaju, Itabaiana

Centro-Oeste (14)

Goiás (6): Goiânia, Itumbiara, Rio Verde, São Luís de Montes Belos-Iporá, Porangatu-Iruaçu, Luziânia-Águas Lindas de Goiás
Mato Grosso (5): Cuiabá, Cáceres, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis
Mato Grosso do Sul (3): Campo Grande, Dourados, Corumbá

Sudeste (33)
Espírito Santo (4): Vitória, São Mateus, Colatina, Cachoeiro do Itapemirim
Minas Gerais (13): Belo Horizonte, Montes Claros, Teófilo Otoni, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Barbacena, Varginha, Pouso Alegre, Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas, Divinópolis
Rio de Janeiro (5): Rio de Janeiro, Volta Redonda-Barra Mansa, Petrópolis, Campos dos Goytacazes, Macaé-Rio das Ostras-Cabo Frio
São Paulo (11): São Paulo, Sorocaba, Bauru, Marilia, Presidente Prudente, Araçatuba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Araraquara, Campinas, São José dos Campos

Sul (21)
Paraná (6): Curitiba, Guarapuava, Cascavel, Maringá, Londrina, Ponta Grossa
Santa Catarina (7): Florianópolis, Criciúma, Lages, Chapecó, Caçador, Joinville, Blumenau,
Rio Grande do Sul (8): Porto Alegre, Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul-Lajeado

Distrito Federal (1)

Acesse aqui mais informações. Dúvidas podem ser esclarecidas com a área técnica da Saúde da CNM pelo (61) 2101-6005 ou 6090 ou saude@cnm.org.br.

Foto: EBC


Da Agência CNM de Notícias

 


Notícias relacionadas