Home / Comunicação / CNM compartilha experiências bem-sucedidas de consórcios de resíduos sólidos

Notícias

09/03/2022

Compartilhe esta notícia:

CNM compartilha experiências bem-sucedidas de consórcios de resíduos sólidos

CGIRS RMSPara a missão de dar a adequada disposição final aos resíduos sólidos, Municípios se uniram para atuar de forma consorciada. Em reunião virtual com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), na segunda-feira, 7 de março, o Consórcio de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Sobral (CGIRS-RMS) e o Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul (Cirsures) compartilharam suas experiências.

No Ceará, uma Central de Tratamento de Resíduos (CTR), gerenciada pelo CGIRS-RMS, tem o objetivo de receber os rejeitos gerados nos 18 Municípios consorciados, embora o aterro sanitário da CTR ainda receba resíduos passíveis de reciclagem. Para que a unidade receba apenas os rejeitos, os representantes do consórcio – o secretário-executivo, Paulo César Vasconcelos, e o educador ambiental Luiz Carlos Costa – explicam que é imprescindível implementar a política pré-aterro com a instituição de Centrais Municipais de Reciclagem (CRM), idealizadas para serem constituídas nos 18 Municípios. Para o atendimento dos Municípios, o CGIRS conta com seis estações de transbordo (transferência de resíduos) que facilitam a logística para a disposição de aproximadamente 400 ton/dia de resíduos no aterro sanitário.

Além do aterro, a CTR possui unidades para tratamento de resíduos específicos, como um pátio de compostagem para recebimento dos resíduos vegetais coletados nos Municípios e, em fase de instalação, um sistema para tratamento de resíduos de serviços de saúde com previsão para início de operação ainda em 2022.

Coleta seletiva
O Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul (Cirsures) já atua além da disposição final dos resíduos sólidos, trabalhando também com coleta seletiva. Com ampla experiência acumulada, uma vez que a atividade de coleta foi iniciada nos anos 2000 e, atualmente, atende a todos os sete Municípios consorciados, de acordo com o diretor do Consórcio, Thiago Maragno.

O Cirsures possui um contrato de cessão de espaço e galpão para uma cooperativa que explora comercialmente os resíduos recicláveis originários da coleta. Responsável pela coleta seletiva do Consórcio, a engenheira sanitarista Graziela Apolinária Bolan informou que 63% da população total é atendida pela coleta realizada em 83 bairros, com 18 rotas específicas realizadas por três caminhões graneleiros. Hoje, entre 80 e 105 toneladas de resíduos oriundos da coleta seletiva são destinados ao galpão da cooperativa. Deste total, 85% são recicláveis, segundo estudos do Consórcio, que identificou um potencial financeiro da cooperativa girando em torno de R$ 1 milhão por ano.

Além das ações de suporte contábil, gerencial e estrutural junto à cooperativa, o CIRSURES também possui ações em conjunto com o Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e com universidades para o atendimento assistencial aos catadores e o desenvolvimento da cooperativa.

Atuação da CNM
O intercâmbio de experiências dos consórcios fortalece o desenvolvimento intermunicipal, na medida em que permite a troca de informações gerenciais e operacionais dos consórcios, que por vezes, enfrentam desafios semelhantes e buscam resultados igualmente parecidos. A CNM fomenta este tipo de diálogo a fim de identificar as boas práticas a nível nacional.

Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas