Home / Comunicação / CNM elenca ações que podem ser adotadas pelos gestores no combate ao sarampo

Notícias

26/02/2019

Compartilhe esta notícia:

CNM elenca ações que podem ser adotadas pelos gestores no combate ao sarampo

26022019 vacinacao injetavelA situação epidemiológica do Brasil frente ao sarampo apresenta números alarmantes que chegam a 10.302 casos nos anos de 2018 e no início de 2019. Os estados do Amazonas, Roraima e Pará foram os que apresentaram mais casos confirmados e de investigação. Preocupada, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) reafirma aos gestores locais e aos cidadãos a importância das campanhas de vacinação e a verificação da cobertura vacinal feita pelas equipes de saúde.

A entidade reforça também a relevância da participação dos agentes comunitários de saúde no trabalho de erradicação do sarampo no Brasil. Destaca ainda a contribuição do auxílio desses profissionais para a manutenção do selo de eliminação do sarampo nas Américas. Como uma melhor prática para cobertura e otimização de recursos, a área de saúde da CNM ressalta a importância de realizar campanhas conscientes para informar a população sobre a necessidade da vacinação e mostrar a alta capacidade de contágio e gravidade do sarampo, principalmente em crianças.

Além disso, a CNM entende que nessas ações são fundamentais a demonstração da alta capacidade de resolução e eficácia da vacina contra esse vírus. A entidade recomenda a capacitação e conscientização dos profissionais envolvidos para atender de forma adequada aos usuários e otimizar o manejo dos insumos, muitas vezes dispostos em multidosagens, de modo a atender o maior número de pessoas sem comprometer os estoques.

As campanhas devem ser abrangentes, reforçadas e realizadas não somente em regiões que apresentam incidência de casos, mas também em locais que receberam fluxos migratórios. Em um mundo globalizado, Municípios com portos que recebem embarcações de outros países ou que recebem grande fluxos de viajantes apresentam riscos maiores. A CNM disponibiliza a indicação vacinal contra o sarampo que se dá com a divisão das faixas etárias. Confira abaixo:

• 12 meses a 29 anos de idade: duas doses de vacina contendo componente sarampo, sendo a primeira dose aos 12 meses com a vacina tríplice viral e uma dose aos 15 meses com a vacina tetra viral (esta dose corresponde à segunda dose da tríplice viral e à primeira dose da varicela).
• A tetra viral pode ser dada a crianças até 4 anos 11 meses e 29 dias que não tenham sido vacinadas oportunamente aos 15 meses.
• Pessoas de cinco a 29 anos não vacinadas ou que estejam com esquema incompleto devem receber a vacina tríplice viral conforme a situação encontrada.
• Pessoas de 30 a 49 anos não vacinadas têm indicação para receber uma dose de vacina tríplice viral.
*O indivíduo é considerado vacinado quando comprovar o recebimento de duas doses de vacina contendo componente sarampo.

*Quem comprovar a vacinação contra o sarampo, conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

Acesse o calendário de vacinação 


Notícias relacionadas