Home / Comunicação / Comissão de Infraestrutura discute diversificação para país reduzir dependência do transporte rodoviário

Notícias

28/06/2018

Compartilhe esta notícia:

Comissão de Infraestrutura discute diversificação para país reduzir dependência do transporte rodoviário

Valter Campanato/Agência BrasilA Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), do Senado Federal, promoveu uma audiência pública nesta terça-feira, 26 de junho, para debater a situação logística do País. Autor do pedido, o senador Lasier Martins (PSD-RS) lembrou que a recente greve dos caminhoneiros evidenciou a falta de alternativas e a dependência do transporte rodoviário. Os especialistas defenderam mais investimentos em setores como movimentação de cargas por meio de ferrovias.

Os dados do setor mostram que hoje 65% do transporte de cargas é feito pelas rodovias contra 15% por ferrovias, 11% por cabotagem e 5% por hidrovias. O diretor do Departamento de Infraestrutura de Logística do Ministério do Planejamento, Otto Luiz Burlier, observou que o orçamento do setor - cerca de R$ 10 bilhões - é igualmente concentrado na manutenção e recuperação de rodovias. Diante da limitação orçamentária, Burlier avalia que é preciso buscar mais investimentos da iniciativa privada.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) destaca que é necessária uma priorização por parte do Governo Federal, que deve avaliar a economia que cada setor pode gerar com a ordenação. A diversificação da matriz de carga também contribui para a otimização e integração do sistema.

Geraldo Magela/Agência SenadoDebate
O diretor do Departamento de Gestão Estratégica do Ministério dos Transportes, Rodrigo Cruz, também defendeu a revisão do papel do Estado no setor. Segundo ele, é preciso avançar em uma rede de transportes que se complemente, diminuindo a dependência do modal rodoviário.

Representante da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários declarou que a prorrogação dos contratos de cinco concessionárias, que está em análise no momento, vai representar investimentos da ordem de R$ 25 bilhões nos próximos cinco anos, o que vai ajudar a desafogar a logística.

Planejamento
O diretor do departamento de infraestrutura de logística do Ministério do Planejamento destacou o Plano Nacional de Logística e Transporte, que está em elaboração e tem como objetivo identificar e propor, com base no diagnóstico de infraestrutura de transportes, soluções que propiciem condições capazes de incentivar a redução dos custos, melhorar o nível de serviço para os usuários, buscar o equilíbrio da matriz, aumentar a eficiência dos modos utilizados para a movimentação das cargas e diminuir a emissão de poluentes.

Outra ferramenta é o Observatório Nacional de Transporte e Logística (ONTL), lançado recentemente para subsidiar os Ministérios do Planejamento, de Transporte e das Cidades nas Políticas Públicas, além de servir como base de dados para o Plano Nacional de Logística e Transporte.

A página já dispões de diversas informações sobre a movimentação de cargas no País, tais como o panorama do transporte inter-regional para o ano de 2015, a projeção das matrizes origem–destino para diversos horizontes, relatórios metodológicos e o simulador de custo de transporte.

Veja a audiência na íntegra aqui


Notícias relacionadas