Home / Comunicação / Dia Mundial da Obesidade alerta para o estigma do excesso de peso

Notícias

14/10/2019

Compartilhe esta notícia:

Dia Mundial da Obesidade alerta para o estigma do excesso de peso

Arquivo Ag. BrasilObesidade eu trato com respeito. Esse foi o tema do Dia Mundial da Obesidade deste ano, lembrado na sexta-feira, 11 de outubro, para alertar sobre a necessidade de combater a discriminação por causa do peso e de tratar o assunto com respeito. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, para apoiar soluções voltadas às pessoas.

De acordo com a OMS, cerca de 13% da população adulta do mundo é obesa, e o problema do excesso de peso afeta mais de 55% dos brasileiros. A obesidade é o excesso de gordura corporal – tecido adiposo – que afeta negativamente a saúde ou bem-estar. O diagnóstico da obesidade é feito, principalmente, pelo Índice de Massa Corporal (IMC).

O adulto é considerado obeso quando apresenta IMC superior a 30 kg/m2, e o excesso de peso é quando o IMC está superior a 25–30 kg/m2. Os números da OMS chamam a atenção e devem ser levados a sério pelo poder público, pois a obesidade pode ser um fator de risco para outras Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), como diabetes, doenças cardiovasculares, asma, gordura no fígado, hipertensão, depressão e até alguns tipos de câncer.

Rotina mais acelerada e o consumo de alimentos industrializados – baseada em fast food, comidas ultra processadas, aromatizantes, corantes, sódio e açúcares – são fatores que influenciam no peso de adultos e crianças. Além do impacto na qualidade de vida da população, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) chama atenção dos gestores locais para o crescimento da obesidade infantil, que afeta a rede de saúde local e pode aumentar o número de internações.

A partir dessa realidade, a Confederação reforça a importância de iniciativas que conscientizem a sociedade para alimentação mais saudável, a prática de atividade física e os cuidados básicos com a saúde. As dicas da entidade para enfrentar o problema são: ações coletivas voltadas à comunidade, como caminhadas em grupo; exercícios físicos praticados em centros ou academias públicas; palestras nas escolas; e orientações nos postos de saúde.

Este ano, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e a Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica divulgou mensagens sobre a campanha. “É fundamental aumentar a conscientização sobre prevalência, gravidade e diversidade do estigma do peso”, alertou as entidades. As promotoras no Brasil recomendaram o fim de linguagem e imagens estigmatizantes para retratar a obesidade de maneira informativa.

Da Agência CNM de Notícias, com informações da EBC


Notícias relacionadas