Home / Comunicação / Dia Mundial sem Tabaco alerta para saúde pulmonar

Notícias

31/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Dia Mundial sem Tabaco alerta para saúde pulmonar

02012016 cigarros ebc destO tabagismo é responsável pela morte de mais de 7 milhões de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesta sexta-feira, 31 de maio, é o Dia Mundial sem Tabaco e para 2019, a OMS definiu o tema “Tabaco e saúde pulmonar” para ser trabalhado internacionalmente. O dia foi criado em 1987 pela OMS para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.

Entre os principais alertas da OMS estão:

  • o impacto negativo que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem sobre a saúde pulmonar, do câncer de pulmão às doenças respiratórias crônicas como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (que inclui bronquite e efisema);
  • o tabaco fumado, em qualquer uma de suas formas, é responsável por até 90% de todos os cânceres de pulmão;
  • o papel fundamental que os pulmões desempenham na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

O consumo do tabaco é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão e importante fator de risco para doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), tuberculose, dentre outras enfermidades pulmonares.

Além disso, a exposição ao tabagismo passivo (ou seja, a exposição involuntária à fumaça do tabaco), em curto período, pode acarretar reações alérgicas — rinite, tosse, conjuntivite, exacerbação de asma. Em adultos expostos por longos períodos, o tabagismo passivo pode levar ao infarto agudo do miocárdio, câncer do pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica). Em crianças, a exposição passiva aumenta o número de infecções respiratórias. Bebês expostos ainda no útero às toxinas da fumaça do tabaco — por meio do tabagismo materno ou da exposição materna ao fumo passivo — frequentemente experimentam redução do crescimento e da função pulmonar.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) lembra que as ações de prevenção ao tabagismo e apoio para biopsicossocial para deixar o cigarro são realizadas nos serviços de atenção primária. Nesse âmbito as unidades de saúde promovem acolhimento individual e em grupos, sempre de forma multidisciplinar, visto a necessidade de se trabalhar integramente o processo de conscientização e ações contra o tabagismo.

Da Agência CNM de Notícias, com informações da OMS e INCA

 


Notícias relacionadas