Home / Comunicação / Em um mês, agronegócio brasileiro gera mais de 4,6 mil vagas de trabalho

Notícias

27/08/2019

Compartilhe esta notícia:

Em um mês, agronegócio brasileiro gera mais de 4,6 mil vagas de trabalho

BM Marketing gov RondoniaO agronegócio brasileiro registrou saldo positivo de 4.645 novas vagas de trabalho em julho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e desempregados (Caged). A boa notícia foi divulgada pelo Ministério da Economia, na última sexta-feira, 23 de agosto. Em comparação com o mesmo mês do ano anterior, o crescimento foi de 0,29%.

De acordo com os números, nos sete primeiros meses de 2019, o setor abriu 82.165 postos, 5,28% a mais que o mesmo período do ano passado. As principais atividades do setor agropecuário responsáveis pelo crescimento registrado no mês passado foram o cultivo de plantas de lavouras temporárias não especificadas, laranja e atividades de apoio à agricultura.

Responsável por grande parte da economia do país, o setor foi responsável por metade das exportações nacionais e cerca de 21% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) contabiliza diversas publicações sobre a importância da agropecuária, como o livro Desenvolvimento do Meio Rural nos Municípios: Ater, acesso à terra e mercados.

Vagas de trabalho
No total, o emprego formal no Brasil cresceu pelo quarto mês consecutivo, com a criação de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada em julho, um crescimento de 0,11% em relação a junho. No acumulado de 2019, o total de novos postos gerados é de 448.623 vagas, elevação de 1,20% em relação ao período de janeiro/julho de 2018.

De modo geral, dos oito setores econômicos incluídos no cadastro, sete registraram mais contratações do que demissões em julho. Destaque na construção civil, que abriu 18.721 novos empregos, seguido por serviços, indústria da transformação, comércio, agropecuária, atividade extrativa mineral e serviços industriais de utilidade pública. Apenas a Administração pública teve saldo negativo.

Região
O emprego formal também cresceu em todas as regiões do país no mês em análise, segundo o Caged. O melhor resultado foi registrado no Sudeste, com saldo positivo de 23.851; seguido do Centro-Oeste, com a marca de 9.940 novos postos de trabalho; do Norte e do Nordeste, com 7.091 e 2.58 vagas, respectivamente. O resultado menos expressivo foi no Sul, com 356 vagas.

Leia também: Responsável por 23,5% do PIB, agropecuária puxa geração de empregos formais

Da Agência CNM de Notícias, com informações da CNA
Foto: BM Marketing/Gov. Rondônia


Notícias relacionadas