Home / Comunicação / Excesso de chuvas castigam Municípios do Estado Espírito Santo

Notícias

05/12/2022

Compartilhe esta notícia:

Excesso de chuvas castigam Municípios do Estado Espírito Santo

05122022 chuva EBCO excesso de chuvas dos últimos dias causou muitos estragos em vários Municípios do Espírito Santo, de acordo com a Defesa Civil do Estado, entre os problemas está a destruição de pontes e estradas municipais, estaduais e federais deixando dezenas de comunidades isoladas, desabamentos de barrancos danificando e bloqueando estradas, a destruição de casas que afetaram milhares de pessoas, o deslizamentos de terra, alagamentos, inundações e enxurradas em bairros ruas e avenidas. Além disso, também foram registradas queda de muros, árvores e postes de energia, o que causou diversos problemas à comunidade.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) entrou em contato com a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Espírito Santo. O órgão informou que 15 Municípios foram afetados. As cidades são: Aracruz, Cariacica, Castelo, Colatina, Domingos Martins, Fundão, Guarapari, Ibiraçu, Rio Bananal, São José do Calçado, Santa Leopoldina, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória. Desses, sete decretaram Situação de Emergência, até o momento.

A CNM também conversou com os órgãos municipais e fomos informados que as Defesas Civis do Estado e as prefeituras que, até o momento, os prejuízos causados pelas chuvas dos últimos dias ultrapassaram os R$ 9,4 milhões. Entretanto, os órgãos de defesa civil estimam que esse valor é muito maior e as equipes ainda estão realizando o levantamento dos danos e prejuízos causados.

De acordo com o Siga Brasil, a União prometeu pagar ao Estado Espírito Santo R$ 1,9 milhão para ações de proteção e defesa civil para todo o ano de 2022, porém, pagou R$ 1,1 milhão do montante, correspondendo a 59% do prometido. A CNM lamenta, no entanto, que o valor de R$ 1,1 milhão pago pela União corresponda a apenas 11,9% dos R$ 9,4 milhões de prejuízos causados pelas chuvas dos últimos dias no Estado.

Ao todo mais de 15 mil pessoas foram afetadas, onde 3.366 estão desalojadas e 898 ficaram desabrigadas e infelizmente, uma pessoa morreu no Município de Viana após ser atingida pelo desabamento de sua casa.

As prefeituras dos Municípios afetados já decretaram situação de emergência e criaram seus gabinetes de crise, com objetivo de intensificar os trabalhos de resposta e avaliação dos danos e prejuízos causados.

Ações da CNM
A área de Defesa Civil da CNM entrou em contato com os Municípios afetados e auxiliou os gestores na decretação de situação de emergência e também vem orientando os municípios a entregarem toda documentação necessária exigida pela legislação do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SINPDEC).

Essa documentação deve ser entregue por meio do Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres – S2ID, coordenado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil Sedec/MDR, para solicitar o apoio técnico e financeiro ao governo federal para ações de resposta, reabilitação e reconstrução das áreas afetadas pelo desastre.

Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas