Home / Comunicação / Frio intenso é sinal de alerta nos Municípios brasileiros; Sul enfrenta ciclone subtropical e massa de ar frio afeta o país

Notícias

18/05/2022

Compartilhe esta notícia:

Frio intenso é sinal de alerta nos Municípios brasileiros; Sul enfrenta ciclone subtropical e massa de ar frio afeta o país

18052022 frio mcamgo abr 180520221818A brusca queda de temperatura no Brasil, que enfrenta uma onda de frio intenso nesta semana, deixa em alerta os Municípios brasileiros. Além de um ciclone subtropical no litoral Sul do país, uma massa de ar frio provoca forte queda de temperaturas nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte. Há ainda risco de geadas, afetando a agricultura, e registro de neve.

Nesta quarta-feira, 18 de maio, segue a previsão de ventos fortes no leste e litoral gaúcho, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Na terça, 17, o Rio Grande do Sul (RS) foi afetado pelo ciclone Yakecan – além da queda de árvores e destelhamento de casas, houve interrupção de energia em diversos locais. Segundo dados iniciais do Inmet, o litoral sul de Santa Catarina (SC), por onde passa o ciclone, pode ter rajadas de vento acima de 110 km/h nesta quarta.

No entanto, a Defesa Civil Nacional informou que o ciclone subtropical começou a se distanciar do litoral brasileiro. De acordo com o órgão, o ciclone “segue em direção aos Estados de Santa Catarina (SC), Paraná (PR) e São Paulo (SP), com menos intensidade do que o previsto e se afastando da costa”. Ainda assim, todos os cuidados devem ser mantidos, uma vez que segue previsão de ventos fortes até o Município de Cabo Frio, no Rio de Janeiro (RJ).

Em Porto Alegre (RS), a imprensa noticia que o ciclone e as alterações climáticas levaram ao naufrágio de um pequeno barco e um pescador foi encontrado morto no lago Guaíba, na terça-feira, 17. Municípios gaúchos têm suspendido aulas em escolas e universidades e em Três Cachoeiras (RS) um ginásio de esportes desabou. No Município de São Paulo (SP), onde a sensação térmica chegou a -4ºC, há a suspeita de morte por hipotermia de uma pessoa em situação de rua.

Geadas
Há ainda risco de geadas no centro-norte do Paraná (PR), em São Paulo (SP) – especialmente na Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba –, no triângulo e centrossul de Minas Gerais (MG), no Mato Grosso do Sul (MS) e no sul de Goiás (GO).

De acordo com o Inmet, as condições atípicas no clima permanecem no país até, pelo menos, o fim desta semana. Até esta quarta, seguem previstas condições de neve nas Serras Gaúcha e Catarinense e no sul do Paraná. Por ora, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul já possuem registros de neve.

Diante disso, o órgão, que é ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), alerta sobre o impacto das baixas temperaturas e das geadas no cultivo de algumas espécies, como “milho e feijão segunda safra que se encontram em fases fenológicas sensíveis”. Também há risco para hortaliças e culturas perenes como café, cana-de-açúcar e frutas.

O Instituto destaca ainda que a situação pode ocasionar a chamada temperatura letal, que é quando causa danos mais graves e irreversíveis às culturas. Confira aqui o calendário com a previsão de geada nesta semana.

18052022 POA AlexRocha Onda Frio 4Cuidados
A Defesa Civil Nacional alerta a população para os cuidados necessários. Durante tempestades, a recomendação é não sair de casa e buscar abrigo prévio em locais protegidos. Para se manter informado, os cidadãos devem ficar atentos às orientações da defesa civil dos Municípios, que dão a primeira resposta em caso de desastres. Além disso, todos podem se cadastrar no serviço de comunicação do órgão federal enviando mensagem de texto (SMS) pelo celular para o número 40199, na mensagem digite apenas o CEP da região onde mora. Assim, receberá alertas via SMS.

As autoridades também recomendam desligar aparelhos elétricos e fechar o registro de água e gás. Em caso de emergência, a Defesa Civil pode ser acionada pelo 199 e o Corpo de Bombeiros no número 193.

Acesse estudo da CNM sobre o tema - Impactos negativos causados pelo frio intenso e pelas geadas entre 2017 a 2021.

Da Agência CNM de Notícias, com informações do Inmet e da Defesa Civil
Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e Alex Rocha/Prefeitura de Porto Alegre


Notícias relacionadas