Home / Comunicação / Levantamento da CNM registra inflação de 0,59% em outubro

Notícias

16/11/2022

Compartilhe esta notícia:

Levantamento da CNM registra inflação de 0,59% em outubro

Inflação2Após três meses de registro de deflação, a Edição 10/2022 do Informativo CNM de inflação apontou interrupção dessa sequência e indicou alta de 0,59% nos preços de vários produtos no mês de outubro. Os dados que embasam o levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) são coletados de acordo com a evolução do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial usado pelo governo federal e que o Conselho Monetário Nacional (CMN) determina como meta de cumprimento da inflação.

O IPCA avalia mensalmente uma cesta de 377 itens para famílias com rendimentos entre 1 e 40 salários-mínimos. No acumulado em 12 meses, o IPCA chegou a 6,47%. Isso representa tendência de queda que foi iniciada em julho e que teve o menor nível em abril de 2021 (6,76%). Vale ressaltar que o percentual está acima da inflação projetada como centro da meta pelo CMN: 3,5% para 2022 e mesmo do limite superior da meta fixado em 5%.

O cenário de crescimento da inflação demonstra fatores que podem ajudar a entender a inflação no mês de outubro. Dos 377 itens analisados no período, 256 (68%) registraram aumento nos produtos, representando o maior valor desde maio. As maiores contribuições para a inflação de 0,59% em outubro foram observadas nos setores de alimentação e bebidas (0,16%), saúde e cuidados pessoais (0,15%) e transportes (0,12%) – interrompendo uma sequência de deflações. Também indicaram alta as partes de vestuário e despesas pessoais (0,06%), habitação (0,05%), artigos de residência (0,02%) e Educação (0,01%). A única redução ocorreu na categoria de Comunicação (-0,02%).

Outros setores
A tendência de aumento dos preços também ocorreu na passagem aérea (27,38%), perfume (5,71%) e planos de saúde (1,43%). Pelo quinto mês, o item que mais contribuiu para redução da taxa de inflação foi a gasolina (-0.07%), seguido do leite Longa Vida (-0.06%) e plano de telefonia móvel (-0.03%). As reduções podem ser explicadas com as mudanças aprovadas na Lei Complementar (LC) 194/2022 que reduziu a alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis, comunicação e energia elétrica e transportes.

Quadrimestre
No último quadrimestre (julho e outubro), o IPCA acumulou deflação de 0,74%, convergindo para a menor inflação acumulada em 12 meses desde abril de 2021. Analisando os últimos 12 meses, o principal elemento de arrefecimento da inflação em 2022 foi o setor de transportes, que recuou de 19,7% em outubro de 2021 para 1,6% em outubro de 2022. Por outro lado, a inflação de alimentos e bebidas permanece alta, de 11,71% para 11,21%, comprometendo consideravelmente o custo de vida nos Municípios brasileiros.

Nas últimas semanas, o Relatório Focus do Banco Central tem diminuído consideravelmente as previsões do IPCA para o final do ano. A última publicação, de 11 de novembro, aponta a expectativa da inflação para 5,82% até o final do ano, superando pelo terceiro ano consecutivo o centro da meta estipulada pelo CMN. No entanto, a tendência de convergência para o limite superior da meta é de 5%.

Os preços foram coletados de 29 de setembro a 27 de outubro (referência) contra os preços vigentes entre 30 de agosto de 2022 a 28 de setembro (base). Acesse outras edições do levantamento da CNM

 

Da Agência CNM de Notícias 


Notícias relacionadas