Home / Comunicação / Maio Amarelo: ação de conscientização e 82% de casos fatais entre homens chamam atenção

Notícias

27/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Maio Amarelo: ação de conscientização e 82% de casos fatais entre homens chamam atenção

Valter Campanato/Agência BrasilO Movimento Maio Amarelo impulsionou ações de diversos setores empresariais e da sociedade civil, durante todo o mês. Entre as ações, está caminhada promovida pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) na sexta-feira, 24 de maio, que reuniu quase 50 pessoas no Parque da Cidade, em Brasília, para chamar a atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito. Os acidentes são a segunda maior causa de mortes externas no Brasil e, em 82% dos casos, as vítimas fatais são do sexo masculino.

Foram 35,3 mil mortes só em 2017. Segundo dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), a maior parte das vítimas fatais é do sexo masculino e jovens em idade produtiva, entre 20 e 39 anos. Entre as mulheres, os óbitos por acidente de trânsito foram de 6.336, correspondendo a 18% dos casos; 35,7% delas também eram jovens, em idade entre 20 e 39 anos.

Dentre os principais fatores estão: qualidade da infraestrutura viária, condições do veículo e comportamento dos usuários de veículos. As mortes refletem nos setores social e econômico e na saúde. Os acidentes geram sobrecarga nos serviços de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS) com números crescentes de internações. Em 2017, foram 182.838, gerando gastos de aproximadamente R$ 260,7 milhões. Deste total de internação, 78,2% ocorreram no sexo masculino.

As principais vítimas fatais foram: motociclistas, 12.199; seguidos de ocupantes de automóveis e caminhonetes, 8.511; pedestres, 6.469; e ciclistas, 1.306. Dados dos Acidentes de Trânsito Terrestres (ATTs) na saúde pública, entre 2000 a 2013, que inclui tratamento das sequelas emocionais e físicas, indicam: em 1,7 milhões de internações, 23,5% dos pacientes apresentaram diagnóstico sugestivo de sequela física, sendo que amputação e traumatismo crânio encefálico são as principais causas, sobretudo entre homens de 20 a 29 anos, pedestres e motociclistas.

Campanha
Além da ação institucional com os colaboradores da CNM, a entidade iluminou a fachada da cor amarela, por dentro e por fora, durante todo o mês; e o tema foi abordado durante Roda de Conhecimento, no início do mês. O programa apresentou orientações aos Municípios para promoção de ações. Em 2013, a entidade publicou o livro Mapeamento das mortes no trânsito, mostrando dados sobre o problema e as consequências do crescimento da frota brasileira de veículos.

Da Agência CNM de Notícias, com informações do Ministério da Saúde


Notícias relacionadas