Home / Comunicação / Migrante venezuelana relata experiência ao ser acolhida pela CNM durante evento na Cáritas brasileira

Notícias

25/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Migrante venezuelana relata experiência ao ser acolhida pela CNM durante evento na Cáritas brasileira

25062019 migrante venezuelana CNMUma migrante venezuelana acolhida pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) participou nesta terça-feira, 25 de junho, do seminário Migração e refúgio: compartilhe e viagem - Brasil de braços abertos. O encontro promovido pela Cáritas brasileira fez parte das comemorações do Dia Nacional do Migrante, celebrado na última sexta-feira, 21 de junho.

A celebração foi dividida em três partes, sendo a primeira delas um momento de relatos de migrantes e refugiados de diversas partes do mundo que buscaram abrigo no Brasil. A migrante Yuly Teran, que integra a equipe do Núcleo Social da CNM, contou a sua trajetória. Ela chegou de Pacaraima, em Roraima, no ano de 2017 e começou a trabalhar na equipe da CNM no início deste ano. A venezuelana destacou a iniciativa da Confederação e disse aos demais participantes para que tenham esperança e garra em busca de melhores condições de vida no Brasil. “A CNM me deu a oportunidade para crescer profissionalmente. Assim como ocorreu essa bênção na minha vida, acredito que também vai acontecer na de vocês. Não desanimem e tenham muita fé e perseverança”, destacou.

Durante o seminário, representantes de diversas instituições contaram como estão trabalhando em prol da integração desses migrantes no Brasil. A Universidade de Brasília (UnB), por exemplo, contou que oferece aulas gratuitas para migrantes refugiados. Em relatório lançado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) denominado Perfil Sócio Econômico do Refugiado no Brasil em 2019, a língua foi destacada como ainda sendo o principal obstáculo para a integração. O evento na Cáritas brasileira ainda contou ainda com o apoio de diversas instituições como a União Marista de Brasília e Instituto de Direitos Humanos (IMDH).

Interiorização+Humana
No ano de 2019, a CNM, o governo federal, a Acnur, a Organização Internacional de Migração das Nações Unidas (OIM) e o Fundo de Populações das Nações Unidas (Unfpa) firmaram parceria para orientar e estimular os Municípios brasileiros a acolherem os migrantes venezuelanos que buscam residência no Brasil. 

O objetivo da campanha é oferecer melhores oportunidades de inserção socioeconômica. Dando o exemplo aos Municípios, a Confederação emprega duas venezuelanas refugiadas em Brasília. Além de Yully Terán, integra a equipe da CNM a colaboradora da área Internacional, Marvelis Farias.

 

Leia também:

Mais de 70 milhões de pessoas estão em deslocamento forçado no mundo


Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas