Home / Comunicação / Monteiro Lobato (SP) e Vitória (ES) apresentam seus projetos inovadores no Experiências das Cidades

Notícias

17/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Monteiro Lobato (SP) e Vitória (ES) apresentam seus projetos inovadores no Experiências das Cidades

Ag. CNMO projeto inovador da prefeitura de Monteiro Lobato (SP) foi apresentado pela prefeita Daniela de Cássia durante o debate Experiências das Cidades do workshop internacional Programa Internacional de Cooperação Urbana. “Todo o nosso projeto de cidade e comunidades sustentáveis tem a ver com o ODS [Objetivos de Desenvolvimento Sustentável]” disse a gestora durante a plenária ocorrida no final da manhã desta sexta-feira, 17 de maio, na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Sob o tema Cidade inteligente, humana e encantada, a gestão local tem atuado para mudar a realidade da população da pequena cidade, localizada nas montanhas da Serra da Mantiqueira, em São Paulo. “Com um orçamento pequeno, o primeiro passo foi buscar recursos por meio de convênios e parcerias, com o objetivo de investir e fomentar os programas governamentais”, afirmou Daniela ao contar como sua administração ousou e com isso promoveu a melhoria da gestão, a integração com as instituições acadêmicas e o reconhecimento nacional e internacional. “O sucesso do nosso projeto foi por conta das parcerias”, reconhece.

Dentre as iniciativas, Daniela destacou empreendedorismo nas escolas, central cidadão, sustentabilidade e cuidar do planeta, infraestrutura e paisagem urbana, cidade humana com respeito e dignidade ao ser humano, sistema fotovoltaico e eficiência energética: iluminação pública. “O primeiro passo para se posicionar como cidade inteligente está na coleta e análise de todos os níveis dados e indicadores públicos. A gestão dessas informações aliada a inovação tecnológica é fundamental no processo. Em essência, é uma inversão no modo de como as cidades são administradas”, explicou. 

Dados
A gestora de Monteiro Lobato defende: “ao invés do atual decide-se depois mede, entram os dados como fatores decisórios das políticas”. Ela afirmou que “uma cidade inteligente é aquela que coloca as pessoas no centro do desenvolvimento, incorpora tecnologias da informação e comunicação na gestão urbana e utiliza esses elementos como ferramentas que estimulam a formação de um governo eficiente”. E fez questão de veicular um vídeo mostrando os impactos e a mudança real ocorrida no cotidiano dos 4,4 mil moradores.

O diretor de desenvolvimento de Negócios de Vitoria (ES), Renzo Nogueira, também participou do debate e mostrou como a gestão municipal tem incorporado a tecnologia nos serviços prestado. “Vitória é uma capital pequena, comparada com as demais capitas do país. É uma cidade grande com características de cidades pequena”, contou. E o lema atual é Uma cidade inteligente, justa e mais feliz e entre as iniciativas exitosas está o Aplicativo Vitória, com diversos serviços e informações para cidadão e turistas; e o agendamento on-line de serviços de saúde, que elimina as filas para conseguir consultas médicas e atendimento nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras).

Ag. CNMAcesso
Segundo ele, ao contrário do que se imaginava, o público mais ativo dos serviços é idoso de baixa renda. “Toda pessoa que fez um agendamento on-line ou fez uma consulta nos postos de saúde recebe um torpedo depois para avaliar esse atendimento, e isso começou a gerar dados para trabalhar”, esclareceu Nogueira. Sobre os projetos em andamento, ele destacou o Telemedicina, que viabilizará consultas pela internet; a avaliação dos serviços de saúde e da merenda por SMS; e a matrícula e boletim on-line. Só nesse último projeto, segundo a apresentação, a economia foi de R$ 24,210 milhões.

Equipamento de segurança a mulheres em vulnerabilidade, alertas de Defesa Civil e estacionamento como usina de energia solar também estão na lista de projetos inovadores de Vitória. Mas, o que chamou mais a atenção dos presentes foi a forma como a gestão tem transformado a prestação de serviços por meio de tecnologias acessíveis e das decisões do poder público. Sobre a apresentação de Vitória, o prefeito de Benedito Novo (SC), Jean Grundmann, demostrou interesse pelo botão do pânico, para agilizar o socorro a mulheres; e o secretario de desenvolvimento econômico e inovação de Juazeiro do Norte (CE), Cristiano Araújo, sinalizou o interesse de trocar experiências. Ag. CNM

Setor Privado
O debate ganhou novo enfoque com a presença dos representantes da Oracle Corporation multinacional de tecnologia e informática, Gustavo Rangel, e do gerente nacional de Serviços do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), André Spíndola. Eles participaram da Rodada de Perguntas com o Setor Privado, mediada pelo consultor internacional da CNM Augusto Mathias. O debate foi enriquecedor e abriu novas perspectivas, como a necessidade de envolver os órgãos de controle nos debates que tratam da implementação de novas tecnologias nos Municípios, inclusive os de pequeno porte.

Ao ser perguntado sobre a colaboração entre o setor privado e os governos municipais, Rangel afirmou que a relação público-privada registrou algumas mudanças com o fortalecimento dos consórcios municiais e, nesse cenário, ele reconhece a forte atuação da CNM para que esse instrumento seja adotado pelos Municípios. Spíndola respondeu o mesmo questionamento, e falou que o Brasil está sempre nos piores rankings de inovação e produtividade. Outras perguntas foram feitas os representantes abordaram a importância de o poder público atuar para implementar políticas inovadoras e aproveitar as oportunidades tecnológicas disponíveis no mercado atual.

Por Raquel Montalvão
Fotos: Ag. CNM
Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas