Home / Comunicação / Municípios trabalham potencial turístico para atrair visitantes e impulsionar desenvolvimento sustentável

Notícias

23/09/2019

Compartilhe esta notícia:

Municípios trabalham potencial turístico para atrair visitantes e impulsionar desenvolvimento sustentável

Tiago Silveira - MTURLazer, visitar alguém, negócios e eventos são os principais motivos de viagens de estrangeiros para o Brasil. Os Municípios que despertam maior interesse para visitação são aqueles que trabalham os segmentos de praias, ecoturismo, cultura e esportes. Atrativos nada difíceis de encontrar nos quatros cantos do país. Por isso, nesta semana – em que se celebra o Dia Mundial do Turismo (27 de setembro) – a Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostrará alguns destinos que atraem turistas e como gestores municipais trabalham para desenvolver o turismo em suas regiões.

Um dos pontos que pode fazer um destino se sobressair entre as opções de um viajante é ter um diferencial competitivo, algo que ele não encontraria em outro lugar. Vários Municípios brasileiros se encaixam nesse critério, por exemplo, com festas populares únicas, cidades históricas e paisagens naturais. É o caso do Município de Santarém, no Pará, que reúne, em plena floresta amazônica, prédios históricos e sete praias.

O principal ponto turístico fica no distrito de Alter do Chão. Localizado na margem direita do rio Tapajós e a 37 quilômetros do centro da cidade, o local mostra um pedaço da exuberância da Amazônia com praias de água doce, na época da baixa dos rios. “A gente investe na parte de infraestrutura, na orla e em espaços culturais. Pelas belas praias de água doce, chamam de caribe da Amazônia. Nós vivemos entre o rio e a floresta e a atração de turistas, não só nacional, mas também internacional, é grande. Eles vêm interessados em trilhas, conhecer a Amazônia e visitar as comunidades”, conta com orgulho o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar.

Ronaldo Ferreira/SantarémA parte cultural também é forte na região. A festa do Çairé, que já tem 300 anos, apresenta as tradições locais em Alter do Chão. “É sempre realizado na terceira semana de setembro, de quinta a segunda-feira. É uma festa que vem desde a época dos jesuítas, onde o povo local, o povo Borari, fazia as festas de agradecimento da colheita em nome da santíssima trindade”, acrescenta o gestor. O tema de 2019 é Fé que emociona, magia que encanta.

Queima de fogos ainda na alvorada indicam o início da festa. Em seguida há procissão e dois mastros são ornados, um pelo grupo de mulheres e outro pelos homens da comunidade, e fincados no chão. O evento segue com rituais, shows e danças. Na segunda-feira, os dois grupos disputam para derrubar o mastro primeiro. Hoje, o festival, que revela a mistura da cultura indígena amazônica com a religião católica introduzida com a chegada dos jesuítas na Amazônia, é o principal do oeste paraense.

Desenvolvimento sustentável
Uma das preocupações da prefeitura de Santarém é viabilizar o crescimento econômico por meio do turismo sem comprometer as belezas naturais. Por isso, eles trabalham a ideia de turismo comunitário, com o intuito de levar renda à população ribeirinha e aos pescadores, por exemplo. “A gente acredita muito na força do turismo, na geração de emprego e renda. É uma forma de dar oportunidades sem precisar poluir o rio e derrubar as florestas. Ele ajuda muito o desenvolvimento sustentável de Alter do Chão e do Município de Santarém”, afirma Aguiar.

Aliado a esse conceito de sustentabilidade, toda a cadeira produtiva relacionada ao setor indica crescimento na cidade. Além dos investimentos do governo municipal, a iniciativa privada também atua, com aumento da rede hoteleira e de restaurantes.

Com atrativos que envolvem a natureza, a palavra de ordem no Município é preservar. “Todos os anos fazemos campanhas contra as queimadas. Orientamos para não fazerem tanto na área urbana quanto na rural. Quem faz é um criminoso, está cometendo crime ambiental”, alerta o prefeito. Na semana passada, foram registrados incêndios na Área de Proteção Ambiental (APA) de Alter do Chão. A Polícia Civil investiga a causa para eventual punição de culpados. O objetivo agora da prefeitura é conseguir recursos para reflorestar a parte que foi devastada.

Mar e história
Outro Município que os turistas têm, ao menos, dois ótimos motivos para visitar é Aracati, no Ceará. O lugar possui belíssimas praias e um conjunto arquitetônico e paisagístico, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2001.

Jade Queiroz _MTur

Alguns podem até pensar que nunca ouviram falar desse pequeno Município de cerca de 75 mil habitantes. Mas, quando são informados que lá está a famosa praia de Canoa Quebrada, logo se lembram de falésias de cor avermelhada e um mar esverdeado – imagens que com frequência aparecem em revistas/blogs de turismo e na televisão.

Agora, se os turistas chegam em Aracati imaginando apenas um destino 100% pé na areia, praia sol e mar, saem de lá com uma outra visão. O Município reúne edifícios e casarões seculares, como a igreja matriz, Nossa Senhora do Rosário, que data de 1700 e sua reconstrução de 1761, o sobrado do Barão de Aracati, atual Museu Jaguaribano com fachada em azulejos portugueses, e a Casa de Câmara e Cadeia de Aracati, construída no século XVIII.

Entre os investimentos para impulsionar o turismo na região está a inauguração do Aeroporto de Canoa Quebrada neste ano. Por ora, uma companhia área comercial opera voos entre Aracati-CE e Recife-PE.

Economia
Em 2018, 6.621.376 turistas estrangeiros estivem no Brasil, segundo dados compilados pelo Ministério do Turismo. As viagens duraram, em média, 15,1 dias. Como quem viaja se hospeda, come, compra lembranças e presentes, pega transporte, paga por passeios, entre outras atividades, os visitantes gastaram uma média de 53,96 dólares por dia – o equivalente a R$ 225 na cotação atual. Os dados são do Boletim Informativo do Turismo Receptivo Brasileiro da pasta.

Os argentinos são os que mais visitam o Brasil – foram 2.498.483 apenas no ano passado. Em segundo lugar estão os estadunidenses (538.532), seguidos pelos chilenos (387.470).

Por Amanda Martimon
Fotos: Tiago Silveira/Ministério do Turismo (1), Ronaldo Ferreira/Santarém (2) e Jade Queiroz/Ministério do Turismo (3) 

Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas