Home / Comunicação / Municípios Doadores alerta para baixa nos estoques de sangue, em período de férias

Notícias

16/07/2019

Compartilhe esta notícia:

Municípios Doadores alerta para baixa nos estoques de sangue, em período de férias

Marcelo Camargo Ag BrasilIncentivar a doação de sangue e evitar baixa nos estoques, como em período de férias, é o objetivo e o alerta do projeto Rede de Municípios Doadores da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Diante disso, a entidade recomenda aos gestores locais e à população informações relevantes, como a possibilidade de uma doação atender até quatro pessoa e ser o necessário para cirurgias e/ou atendimento de traumas.

Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), nos períodos de festas e de férias, os hemocentros brasileiros registram baixa no estoque de 20% a 30%. Além disso, no Brasil, menos de 2% das pessoas doa sangue regularmente. O público que doa com regularidade representa apenas 1,8% da população, e a média ideal estabelecida pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) é 2%. Por ano, a coleta chega a uma média de 3,5 milhões de bolsas em todo o país.

Uma vez que cada hemocentro tem capacidade própria de estoque e de atendimento aos voluntários, o projeto piloto da Confederação enfrenta a realidade de baixa nos estaques, em determinados períodos, ao propor o aumento das doações de sangue por meio de um processo de comunicação e interação entre hemocentros, gestores municipais e doadores. “A conexão desses públicos contribuirá para o estabelecimento de um fluxo mais eficaz”, explica o presidente da CNM, Glademir Aroldi.

Solidariedade
Doar sangue é um ato de solidariedade e pode salvar vidas. O processo é simples, mas, a primeira doação pode durar até 2h. No entanto, o tempo máximo para doações posteriores é de 60 a 75 minutos. Adolescentes de 16 e 17 anos já podem doar sangue. Fisicamente, o público está apto, contudo, deve cumprir os demais requisitos básicos e, por serem menores de 18 anos, precisam de autorização dos pais ou responsável.

Arquivo Ag BrasilFeitos esses alertas, a CNM explica que, a cada 450 ml de sangue, o plasma sanguíneo – parte líquida e 55% do volume total – pode ser usado em pacientes com queimaduras, em estado de choque e com distúrbios de coagulação. Já, as plaquetas – fragmentos celulares que ajudam o sangue a coagular – auxiliam em tratamentos oncológicos, transplantes de órgãos e cirurgias. De forma mais aprofundada, a entidade destaca outras informações importantes e muitas vezes desconhecidas. Dentre elas:
• a tecnologia atual contribui para a segurança do sangue doado e diminui, cada vez mais, as janelas sorológicas, intervalo de tempo decorrido entre a infecção pelo vírus HIV até a primeira detecção de anticorpos anti-HIV, produzidos pelo sistema de defesa do organismo.
• o corpo humano tem sangue suficiente no para doar de forma saudável, além do sangue ser reposto pelo organismo natural e rapidamente. O volume de sangue doado começa a ser reposto no organismo 24h após a doação.
• Para o homem, o plasma é renovado em até 72 horas; os glóbulos vermelhos em aproximadamente 4 semanas e o estoque de ferro precisa de 8 semanas. Para a mulher, após uma doação de 450 ml de sangue, o estoque de ferro demora um pouquinho mais em comparação com os homens e chega a ser renovado em aproximadamente 12 semanas.
• Pessoas abaixo de 50kg não podem doar. O volume total da doado não pode passar de 8 ml/kg de peso para as mulheres e 9 m/kg de peso entre os homens. Para doar de 30 ml a 450 ml são necessários exames laboratoriais, conforme previsto na lei.
• A Lei 10.205/2001 veda a comercialização de sangue.

Debate no Parlamento
Além de destacar relevantes informações e de incentiva os gestores locais a se envolveram no projeto municipalista, a CNM lembra ainda que o Projeto de Lei (PL) 2.137/2011 está em tramitação na Câmara dos Deputados, aguardando deliberação da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF).

Para incentivar a doação voluntária, entre outras medidas, o texto isenta o doador do pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos da administração pública federal, estadual ou municipal. De acordo com o PL, o doador de sangue que for funcionário público terá acrescido um dia em suas férias para cada doação realizada, em cada período aquisitivo, tendo como limite quatro doações por ano.

Por Raquel Montalvão

Fotos: Marcelo Camargo/Ag. Brasil; Arquivo/Ag. Brasil

Da Agência CNM de Notícias

 


Notícias relacionadas