Home / Comunicação / Municípios integrantes de consórcio público inauguram aterro sanitário

Notícias

05/09/2019

Compartilhe esta notícia:

Municípios integrantes de consórcio público inauguram aterro sanitário

05092019 consorcios publicosMunicípios de Mato Grosso que fazem parte do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Complexo Nascentes do Pantanal irão compartilhar um complexo de tratamento e disposição final de resíduos sólidos domiciliares. A estrutura será instalada na cidade de Mirassol D'Oeste na próxima sexta-feira, 6 de setembro. O Aterro Sanitário Intermunicipal Nascentes do Pantanal foi orçado em R$ 5,7 milhões.

Os Municípios consorciados, que fizeram a opção pela gestão regionalizada de resíduos sólidos, decidiram pela implantação de um aterro regional que atenderá a 13 Municípios. Isso vai proporcionar ganho ambiental com o fechamento dos lixões nas cidades beneficiadas, consideradas berços de boa parte das águas que abastece o Pantanal.

Pensando na sustentabilidade e no aumento da vida útil do aterro sanitário, os Municípios consorciados estão implantando a coleta seletiva. Com o apoio do Consórcio e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), serão feitos investimentos na educação ambiental para a coleta seletiva com a proposta de segregação dos resíduos na origem em duas frações, separando e acondicionando tudo o que é reciclável.

A coleta dos recicláveis será realizada pelo caminhão da reciclagem em um dia específico da semana, de forma que a separação dos resíduos na fonte passe a ser política obrigatória na nova gestão de resíduos. O aterro consorciado, que já conta com a Licença Ambiental de Operação, iniciará os serviços operacionais na próxima segunda-feira, 9 de setembro.

Composição
A readequação do projeto e realização do Plano Regional de Gereciamento Integrado de Resíduos Sólidos-PRGIRS tornaram possível estender o atendimento do projeto aos 13 Municípios consorciados. O sistema de tratamento e destino final de resíduos terá em sua composição célula para destino de rejeitos, sistema de tratamento do chorume, pátio de compostagem, galpão de triagem de recicláveis com esteira elevada, galpão para autoclave que fará o tratamento dos resíduos dos serviços de saúde, galpão oficina/almoxarifado, escritório da administração, guarita com balança rodoviária entre outros instrumentos de monitoramento e controle.

O aterro sanitário, considerado como tipo classe II, está estruturado em um sistema de monitoramento e controle ambiental, célula para resíduos, sistema de tratamento de efluentes, pátio para compostagem de resíduos orgânicos, central de tratamento de resíduos de serviço de saúde, oficina, almoxarifado, guarita e balança de recepção, escritório administrativo e uma ampla e moderna central de triagem de matérias recicláveis com esteira elevada, além de máquinas, caminhões e outros equipamentos.

Da Agência CNM de Notícias, com informações da AMM


Notícias relacionadas