Home / Comunicação / No Dia Mundial das Cidades, CNM destaca importância da sustentabilidade e resiliência

Notícias

31/10/2018

Compartilhe esta notícia:

No Dia Mundial das Cidades, CNM destaca importância da sustentabilidade e resiliência

ONUNesta quarta-feira, 31 de outubro, é celebrado o Dia Mundial das Cidades com a temática Construindo Cidades Sustentáveis e Resilientes. A data encerra o Outubro Urbano, campanha que começa na primeira segunda-feira do mês, com o Dia Mundial do Habitat, e que, neste ano, esteve voltada para a Gestão Municipal de Resíduos Sólidos. O objetivo é chamar a atenção do mundo para os impactos da urbanização que não vem acompanhada de práticas sustentáveis.

Pela primeira vez, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) abraçou a campanha da Organização das Nações Unidas (ONU) e promoveu uma semana de mobilização a fim de sensibilizar prefeitos e gestores para as iniciativas. Para a entidade, é preciso alinhar as ações realizadas em nível municipal ao desenvolvimento sustentável, à Nova Agenda Urbana e ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 11, que trata do enfrentamento aos desafios da urbanização e da adoção de políticas públicas que melhorem a qualidade de vida das pessoas. Para conhecer a Campanha acesse o site.

Panorama Mundial
De acordo com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), 55% da população mundial vive em cidades, proporção que deverá chegar a 68% até 2050. Ou seja, dois terços dos habitantes estarão em áreas urbanas. A CNM explica que, nos últimos 20 anos, os desastres relacionados aos eventos climáticos, como terremotos ou tsunamis, mataram mais de 1,3 milhão de pessoas no mundo e deixou mais de 4,4 bilhões de feridos, desabrigados ou deslocados.

Ag ParaA inundação é o desastre natural mais frequente e generalizado do mundo, afetando mais de 379 milhões de residentes urbanos. Já os terremotos, junto com os tsunamis, são responsáveis pelo maior número de mortes em desastres, respondendo por 283 milhões de vítimas.

Realidade brasileira
Estudo da Confederação sobre os acontecimentos mais recorrentes no Brasil entre 2003 e julho de 2018 verificou que ocorreram 32.121 desastres devidamente reconhecidos pelo Governo Federal. Em média, são cerca de 2 mil desastres por ano. A maioria é decorrente da seca e se concentra nas regiões Nordeste e norte de Minas Gerais. Já o Sul e Sudeste sofrem com o excesso de chuvas. No intervalo de 15 anos, foram registrados 22.714 desastres de seca contra 9.030 relacionados às chuvas.

A CNM destacou, no levantamento, que entre 2012 e o 1º semestre de 2017, tais desastres naturais causaram mais R$ 244,9 bilhões de prejuízos em todo o país, com 53,6 milhões de pessoas atingidas, o que corresponde a 25% da população brasileira. Só nos últimos cinco anos, foram 37,7 milhões de brasileiros afetados pela seca.

pacto de alcaldesAções CNM e evento
A CNM destaca o papel da administração local para o alcance dos ODS, assumidos por diversos países na tentativa de promover melhorias na vida da população por meio de metas sociais, econômicas e ambientais. Entre as ações da entidade para sensibilizar os gestores, a Confederação lançou um conjunto de materiais técnicos sobre resiliência urbana. Além disso, há um site e uma ferramenta, disponível no Conteúdo Exclusivo, para implementação dos ODS.

Nesta terça e quarta-feira, 29 e 30 de outubro, ocorreu em Buenos Aires a Primeira Cúpula dos Prefeitos Urban 20. A iniciativa, liderada pelo movimento C40 e a organização Cidades e governos locais unidos (CGLU), pretende ajudar cidades ao redor do mundo a desenvolver soluções inclusivas para combater ameaças globais. Entre os temas debatidos pelos representantes, destacam-se alterações climáticas, a integração social e o futuro do trabalho.

Boa parte dos participantes assinou o Pacto Mundial de Prefeitos pelo Clima e Energia e, portanto, busca propostas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE). A Assessoria Internacional da CNM reforça a importância dos gestores municipais atuarem na agenda climática e acompanharem eventos como esse para troca de conhecimento e experiências.

Confira os estudos:

Prejuízos causados pela seca de 2012 ao 1º semestre de 2017

Decretações de anormalidades causadas por desastres nos Municipios brasileiros entre 2003 e 2018

Foto: ONU; Agência Pará
Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas