Home / Comunicação / Patrimônio Imaterial de Pernambuco será reconhecido em premiação

Notícias

22/06/2018

Compartilhe esta notícia:

Patrimônio Imaterial de Pernambuco será reconhecido em premiação

Governo PE/DivulgaçãoEstão abertas as candidaturas ao Prêmio Salvaguarda do Patrimônio Imaterial de Pernambuco por meio da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (Iphan-PE).

Edital 1
O primeiro edital tem como objetivo premiar ações de salvaguarda do Maracatu Nação, Maracatu de Baque Solto e Cavalo Marinho, realizadas entre 2015 e 2017, no Estado de Pernambuco.

Serão reconhecidas seis iniciativas de caráter exemplar, que contemplem, no mínimo, uma das seguintes atividades: mapeamento; pesquisa; produção bibliográfica; produção audiovisual; formação, conservação e disponibilização de acervos sobre o universo cultural do bem cultural registrado; ações educativas; formação; capacitação; transmissão de saberes; apoio à organização e à mobilização comunitária; promoção da utilização sustentável dos recursos naturais; ampliação de mercado com benefício exclusivo dos produtores primários dos bens culturais imateriais; ocupação, aproveitamento e adequação de espaço físico para Centro de Referência, como forma de valorizar as referências identitárias de grupos e/ou fomentar a gestão participativa e autônoma da preservação de práticas e manifestações culturais tradicionais do Maracatu Nação, Maracatu de Baque Solto e Cavalo Marinho.

Dos seis prêmios, dois serão para o Maracatu Nação, dois para o Maracatu de Baque Solto e dois para o Cavalo Marinho. As ações de salvaguarda premiadas receberão, cada uma, o montante de R$ 16.660,00. Podem concorrer pessoas físicas e jurídicas detentoras desses bens culturais, sendo que os interessados devem apresentar somente uma ação de salvaguarda pelo correio até 12 de julho.

Info patrimonioEdital 2
O segundo edital tem como intenção premiar a atuação exemplar de Mestras e Mestres do Cavalo Marinho, que atendam a todos os seguintes requisitos: grande experiência e conhecimento nos saberes e fazeres relacionados ao Cavalo Marinho, com o reconhecimento da comunidade onde vivem e atuam; contribuição para o fortalecimento e a transmissão das tradições culturais do Cavalo Marinho; idade igual ou superior a 40 anos na data de encerramento das inscrições; e mínimo de 10 anos de prática como Mestre(a) no Estado de Pernambuco, de acordo com os aspectos tradicionais inerentes ao bem cultural que se encontram descritos na Certidão de Registro.

A iniciativa vai conceder dois prêmios, no valor de R$ 7.500,00 cada um. Os interessados devem se inscrever pelo correio até 12 de julho.

Para maiores informações a respeito dessa iniciativa, acesse os editais.

Quer saber mais sobre patrimônio cultural? Acesse as publicações Preservação do Patrimônio Cultural: o Tombamento e o Registro de Bens Culturais  e Patrimônio Cultural: o Tombamento e o Registro de bens culturais nos Estados.

Entre em contato com a Área Técnica de Cultura por meio do e-mail cultura@cnm.org.br ou pelo telefone: (61) 2101-6053.

Posicionamento
Apesar da iniciativa não possibilitar que os Municípios sejam proponentes, a CNM ressalta que as prefeituras pernambucanas podem divulgar a mesma junto aos mestres(as) de cultura popular que vivem em seus territórios, haja vista que, promover a proteção do patrimônio histórico-cultural local é uma das competências municipais previstas na nossa Constituição Federal.

Com informações do Iphan


Notícias relacionadas