Home / Comunicação / Pleitos na área rural são apresentados ao secretário nacional de Agricultura Familiar

Notícias

10/04/2019

Compartilhe esta notícia:

Pleitos na área rural são apresentados ao secretário nacional de Agricultura Familiar

Ag CNMPropostas de políticas públicas para o desenvolvimento rural sustentável nos Municípios nortearam o quarto painel da arena temática de Desenvolvimento Territorial. Na programação paralela da Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, na manhã desta quarta-feira, 10 de abril, os participantes apresentaram pleitos ao secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Fernando Henrique Kohlmann Schwanke.

Na pauta municipalista, três reivindicações no Serviço de Inspeção Municipal: autorizar a emissão do "selo arte" aos produtores artesanais, normatizar o comércio intermunicipal dos produtos inspecionados pelos consórcios de Municípios e autorizar o comércio nacional dos produtos inspecionados pelo Serviço de Inspeção Municipal.

"Não podemos aceitar que um produto produzido em um Município seja bom para consumir lá, mas não para vender na cidade vizinha. Temos que resolver esse problema", reconheceu o secretário.

Iniciativas

O prefeito de Paragominas, no Pará, Paulo Pombo, compartilhou, na ocasião, boas práticas adotadas na região. "Organizamos a agricultura familiar em cooperativas e destinamos 49% dos recursos da merenda escolar para comprar desses produtores", citou. A meta é alcançar o índice de 60%.

Dados apresentados pelo governo federal no painel evidenciam a importância da agricultura familiar para o Brasil. "Na familiar, o governo coloca cerca de R$ 20 bilhões em crédito e isso gera R$ 60 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB). Na empresarial, R$ 180 bilhões investidos resultam em R$ 190 bilhões no PIB", comparou Schwanke.

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e deputado federal, Alceu Moreira, sugeriu maior integração da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com os produtores. "Nós temos de formular e oferecer soluções. Precisamos construir políticas públicas na agricultura que comecem na lavoura e terminem na Embrapa e vice-versa."

Por: Amanda Martimon
Da Agência CNM de Notícias

 


Notícias relacionadas