Home / Comunicação / Rede Municípios Doadores da CNM destaca o Dia Nacional da Doador de Sangue

Notícias

25/11/2020

Compartilhe esta notícia:

Rede Municípios Doadores da CNM destaca o Dia Nacional da Doador de Sangue

25112020 Thais Slomski doacaodesangueMoradora de Balneário Piçarras (SC), Thaís Slomski é doadora de sangue assídua há vários anos. O ato voluntário da jovem brasileira ganha destaque nesta quarta-feira, 25 de novembro, no Dia Nacional da Doador de Sangue. O projeto Rede Municípios Doadores criado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) reforça a importância dos doadores, a exemplo da Thaís.

“Doar sangue é um ato de amor ao próximo, pois ao realizar esse gesto, o doador pode dar esperança de vida e de saúde para quem mais precisa, sendo eles familiares, amigos ou mesmo um desconhecido. Não importa quem será o beneficiado, mas sim, que outras pessoas terão novas oportunidades, novas chances de recomeçar”, reconhece a jovem catarinense.

No Brasil, pessoas entre 16 e 69 anos podem doar sangue. No caso de menores de 18 anos, faz-se necessário o consentimento dos responsáveis e pessoas entre 60 e 69 anos só podem doar se já o tiver feito antes dos 60 anos. No geral, é preciso ter 50 quilos, no mínimo, e estar em bom estado de saúde. O sangue doado é usado em tratamentos e intervenções urgentes, e em procedimentos médicos e cirúrgicos complexos.

Este ano, Hemocentros do Brasil promovem campanhas para chamar novos doadores, assim como parabenizar e agradecer quem já é doador regular. A CNM aproveita a data para incentivar o gestor municipal a também promover ações que enfatizem a importância dessa ação em seu Município. A entidade acredita que o movimento municipalista pode ser um motor de transformação da realidade de alta de sangue nos estoques.

Destaques
No dia em que se lembra a importância do ato e se chama atenção da população para a causa, o projeto municipalista informa o que é preciso para fazer a doação. Procurar o Hemocentro mais próximo, estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e não estar de jejum. No dia, é imprescindível levar documento de identidade com foto. A CNM também destaca outros alertas a quem deseja fazer a doação pela primeira vez:

 - Estar alimentado. Não ingerir alimentos gordurosos antes da doação;
 - Caso seja após o almoço, aguardar 2 horas.
 - Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas;
 - Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho), serão aceitos documentos digitais com foto.

25112020 rede municipios doadoresA Rede Municípios Doadores da entidade informa ainda sobre os impedimentos temporários e definitivos. Também desta que o intervalos entre as doações devem ser de dois meses para homens, no máximo de quatro doações por ano; e três meses para mulheres, no máximo três doações no período de 12 meses.

Impedimentos temporários
 - Resfriado, gripe e febre: aguardar sete dias após o desaparecimento dos sintomas;
 - Infecção pelo novo coronavírus (Covid-19): aguardar 30 dias após a completa recuperação;
 - Período gestacional;
 - Período pós-gravidez: 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana;
 - Amamentação: até 12 meses após o parto;
 - Ingestão de bebida alcoólica (aguardar 12 horas após o consumo);
 - Tratamento dentário cirúrgico (como extração, tratamento de canal): sete dias após o procedimento e/ou suspensão dos medicamentos;
 - Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
 - Vacina da febre amarela ou sarampo: aguardar 4 semanas após a vacinação;
 - Tatuagens, piercings e maquiagem definitiva: aguardar 12 meses após o procedimento. Caso o piercing esteja na cavidade oral ou região genital, a pessoa pode ser impedida permanentemente de doar sangue devido ao risco contínuo de infecção.

Impedimentos definitivos
 - Ser diabético;
 - Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade;
 - Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV 1 e 2 e doença de Chagas;
 - Uso de drogas ilícitas injetáveis; e
 - Pessoas que já tiveram algum tipo de câncer, leucemia, tuberculose, brucelose, leishmaniose visceral, hanseníase, elefantíase.

Leia também: Dia Nacional do Doador de Sangue será lembrado dia 25 de novembro

Da Agência CNM de Notícias


Notícias relacionadas