Home / Comunicação / Redução nos bancos de sangue por causa do coronavírus preocupa CNM; confira as medidas para as doações

Notícias

24/03/2020

Compartilhe esta notícia:

Redução nos bancos de sangue por causa do coronavírus preocupa CNM; confira as medidas para as doações

downloadO isolamento como medida preventiva para evitar a disseminação do novo coronavírus e o medo com o surto da Covid 19 têm impactado diretamente nos bancos de sangue dos Municípios de todo o país. A queda nas doações preocupa a Confederação Nacional de Municípios (CNM) que possui o projeto Rede de Municípios de Doadores, iniciativa da entidade para incentivar o estoque de bancos de sangue nos hemocentros.

A equipe do Hemocentro do Município de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, parceira da CNM no projeto, registrou diminuição brusca na doação de sangue nos últimos dias. “Foi uma queda de 50% do grupo de voluntários, principalmente em razão da suspensão dos transportes aos doadores por conta do coronavírus. Está todo mundo com medo”, explicou a coordenadora de captação de doadores do Hemocentro da cidade gaúcha, Alexandra Mazzoca. Entretanto, a representante do Município disse que a prefeitura deve promover algumas ações para estimular a doação de sangue de forma segura. “Vamos iniciar na próxima semana o transporte para buscar os doadores. A ideia é fazer um agendamento prévio como forma de evitar a aglomeração”, anunciou.

Para a consultora do projeto Rede de Municípios Doadores e da CNM, Mariana Boff Barreto, uma das medidas que os Municípios podem encabeçar, objetivando suprir esta necessidade emergencial de sangue, é a realização de campanhas para chamar tanto novos doadores como doadores rotineiros. Nesse contexto, a CNM ressalta que a doação não traz riscos de contágio pelo coronavírus e aponta que os Hemocentros estão realizando todas as medidas de segurança para higienização e cuidado aos cidadãos.

Recomendações

Em fevereiro, o Ministério da Saúde emitiu uma nota técnica de como deve ser a doação de sangue em meio a pandemia. Segundo a Pasta, não há testes específicos para a Covid 19 no sangue coletado e nem evidências de transmissão por transfusão de sangue do coronavírus. Entretanto, o governo federal anunciou as seguintes medidas de precaução para os interessados em doar sangue:

• Não poderá doar por 30 dias a partir da data de retorno quem viajou para áreas com transmissão comunitária do vírus;
• Não poderá doar por 30 dias a partir do último contato quem esteve com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelo vírus, ou contato com casos suspeitos em avaliação;
• Quem teve diagnóstico clínico e/ou laboratorial, deverá ser considerados inapto por um período de 90 dias após a completa recuperação (assintomáticos e sem sequelas que contraindique a doação);
• Candidatos à doação de sangue que apresentaram resfriado comum ou infecções de vias aéreas superiores causadas eventualmente por coronavírus, sem história de viagem para áreas endêmicas ou contato com pessoas provenientes destas áreas não devem ser considerados de risco para a infecção destes novos vírus
• Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento com foto. Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes

Rede de Municípios Doadores
A Rede de Municípios Doadores é uma iniciativa que visa contribuir para o aumento das doações de sangue no país por meio de uma plataforma digital responsável por promover a interação entre hemocentros, prefeituras e doadores. Esse sistema estabelecerá um fluxo mais eficaz de divulgação e atendimento de demandas por sangue, no qual as Unidades de Coleta emitem alertas de baixo estoque para as prefeituras que, por sua vez, criam transportes solidários para encaminhar os doadores para as cidades da região que estão necessitando de apoio.

O projeto, no entanto, vai mais longe. Além de estimular a doação de sangue nos Municípios, busca-se inserir as mulheres na liderança de projetos sociais que causam impactos diretos na vida das pessoas e na gestão pública, colocando-as como madrinhas da Rede de Municípios Doadores.

 

Foto: EBC

Da Agência CNM, com informações do jornal O Globo


Notícias relacionadas