Home / Comunicação / Robô virtual ajudará mulheres vítimas de violência; CNM apoia mobilização

Notícias

27/11/2019

Compartilhe esta notícia:

Robô virtual ajudará mulheres vítimas de violência; CNM apoia mobilização

DivulgaçãoChamada de Isa.bot, um robô virtual apresentará conteúdos sobre segurança para mulheres, além de informações para conscientização sobre a violência de gênero na internet. A iniciativa, que tem o apoio do Facebook, Google e da ONU Mulheres, é da organização Think Olga e do Mapa do Acolhimento, projeto do Nossas.Org. O lançamento ocorre durante os 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, que começou na quarta-feira, 20 de novembro, e tem o apoio da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

O nome Isa é um acrônimo das palavras informação, segurança e acolhimento. Por meio de uma experiência interativa com textos e vídeos, a bot, desenvolvida pela Cosmobots, reúne informações e recursos voltados para três diferentes públicos e situações.

Em cerimônia de lançamento da ferramenta na Câmara dos Deputados na tarde desta quarta-feira, 27 de novembro, a deputada federal Aline Gurgel (Republicanos-AP) relatou que sofreu violência digital quando foi candidata à prefeita, o que teria inviabilizado sua eleição. Em parceria com a deputada Soraya Santos (PL-RJ), a parlamentar propôs que a Isa.bot seja trabalhada junto à CNM para auxiliar e proteger mulheres municipalistas.

Segundo dados apresentados na solenidade, 70% das mulheres já foram vítimas de violência na internet. O Brasil é o 5º país do mundo em registro de casos de feminicídio, sendo que, em 2018, houve 16 mil denúncias de violência virtual contra mulheres, o que representa 160% a mais que em 2017.

Como funciona
Quando a usuária escolher seguir pelo caminho de “Ajuda agora” da ferramenta, serão ofertadas ferramentas para mulheres que tenham sofrido violência on-line, com informações específicas para situações como o compartilhamento não-consensual de imagens íntimas (a chamada “pornografia de vingança”), assédio, sextorsão. Haverá dicas, por exemplo, sobre preservação de provas e recursos como o contato do Mapa do Acolhimento, uma plataforma que conecta mulheres vítimas de violência de gênero a uma rede de psicólogas e advogadas voluntárias.

Para quem escolher a opção “Saber mais”, o robô oferecerá conteúdos para quem deseja ajudar a promover uma internet acolhedora, além de dicas para ajudar as mulheres a manterem-se seguras, incluindo informações sobre como usar as ferramentas disponíveis para relatar problemas em plataformas como Facebook e Google.

Há ainda um espaço seguro, com conteúdo exclusivo para mulheres ativistas, que podem ser mais frequentemente alvos de ataques on-line e off-line. As ativistas receberão uma palavra secreta para acesso e informações sobre como proteger suas contas e ferramentas para denunciar possíveis ameaças.

Para ativar a ISA.bot basta chamá-la no Messenger da Página da ISA.bot no Facebook, e também no Google Assistente. Ao somar o recurso do chat (pelo Messenger) ao recurso de voz, o objetivo é ampliar o alcance e a atuação da bot, considerando que nem todas as vítimas são fluentes na linguagem escrita ou digital.

Da Agência CNM de Notícias, com informações da ONU Mulheres


Notícias relacionadas