Home / Comunicação / Tecnologia conta histórias e apresenta patrimônio cultural de Laguna (SC) aos turistas e à população local

Notícias

15/08/2019

Compartilhe esta notícia:

Tecnologia conta histórias e apresenta patrimônio cultural de Laguna (SC) aos turistas e à população local

15082019 serie laguna sc paulo tarso sec de turismoTombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1985, o centro histórico de Laguna (SC) abriga cerca de 600 imóveis. É tanto para se ver que a proposta da prefeitura é levar o turista a um passeio no tempo em uma espécie de museu a céu aberto. Nas décadas de 1835 a 1845, o Município catarinense – conhecido como a cidade de Anita Garibaldi – registrou momentos da Revolução Farroupilha. Agora, oferece aos visitantes roteiros que revisitam o período histórico.

Em parceria com o Iphan, o centro histórico de Laguna tem uma série de projetos de revitalização. Nesse ano, a prefeitura planeja a inauguração da Casa de Anita. “Ela foi totalmente restaurada com recursos conseguidos pelo Iphan. Já entregamos, por exemplo, o Mercado Público e o Casarão da Sociedade Recreativa Clube Congresso”, exemplifica a presidente da Fundação Lagunense de Cultura, Mirella Honorato.

Nesta semana, em que é celebrado o Dia Nacional do Patrimônio Histórico (17 de agosto), a Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra conjuntos urbanos tombados pelo instituto na série Meu Município, meu patrimônio. Quem tiver fotos e quiser compartilhar, pode usar a #meumunicipiomeupatrimonio nas redes sociais e também marcar, na publicação, as contas da entidade municipalista: @portalcnm no Instagram, no Facebook e no Twitter.

Farroupilha
Há vários roteiros que podem ser feitos pelo centro de Laguna, um deles – que é desenvolvido pela prefeitura – refere-se aos caminhos que Anita Garibaldi percorreu na região. “Ela nasceu no que hoje seria o Município de Tubarão, que na época pertencia a Laguna. Logo que o pai falece, ela passa a morar com a mãe no nosso centro histórico”, conta Honorato. A Casa de Anita, que está em restauração, é onde ela se vestiu para o primeiro casamento. No roteito da cidade, há ainda a Fonte da Carioca, local em que Anita teria conhecido Giuseppe Garilbadi.

Secretaria de Turismo de Laguna

O italiano revolucionário chegou ao Brasil em 1835 e se uniu à chamada Revolução Farroupilha, que lutou contra a alta taxação do governo imperial, especialmente sobre o charque, e buscou indepência do regime português. Em 1839, Garibaldi tomou com outros combatentes o porto de Laguna, onde foi proclamada a República Juliana (ou Catarinense). 

Hoje, um dos atrativos no Município é a vista das docas onde ocorreu a invasão farroupilha na cidade. Anita se uniu a Giuseppe e lutou com ele não apenas na Farroupilha, mas também pela unificação da Itália, na Europa, onde faleceu. “Ela rompe um pouco com o paradigma do herói nacional, que geralmente são homens. Ela é uma mulher das classes populares que se envolve nas batalhas e se torna uma grande heróina”, comenta a presidente da Fundação Lagunense de Cultura.

Tecnologia
Para que os visitantes percorram o centro histórico e conheçam mais da histórica local, a secretaria de Turismo, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Iphan, disponibiliza roteiro on-line no aplicativo izi.TRAVEL. O tour – que destaca dez edificações – é apresentado no formato de audioguia e pode ser acessado no portal da iniciativa ou pelo aplicativo procurando por Laguna – Centro Histórcio. 

A visita sugerida começa na Praça Vidal Ramos, com palmeiras imperiais. Em seguida, passa pelo Museu Casa de Anita Garibaldi, uma das primeiras construções, datada por volta de 1711. A próxima parada é na Igreja Matriz de Santo Antônio dos Anjos e depois na Fonte da Carioca – fonte de água doce que permanece em uso até hoje – e na Biblioteca Municipal.

15082019 app horizontalA segunda parte do trajeto reúne o Museu Histórico – Antiga Casa de Câmara e Cadeia, a Praça República Juliana, a Praça Jerônimo Coelho, o Marco do Tratado de Tordesilhas – as terras de Laguna eram citadas no documento – e o Cais do Mercado. O site da Secretaria de Turismo de Laguna também tem diversas dicas de atividades no Município, além de opções de hospedagem e gastronomia.

Além da grande variedade de monumentos históricos cercados por lindas praias, que têm golfinhos e visita de baleias francas, Laguna abriga 43 sítios arqueológicos. O Município, por exemplo, tem um dos maiores sítios arqueológicos de sambaquis da América, alguns com 35 metros de altura, de acordo com o Iphan. Sambaquis são depósitos encontrados em praias, resultados de ação humana. Nas estruturas, que podem chegar a 50 metros de altura, há ossos de animais, conchas e até esqueletos de pessoas. Segundo especialistas, esses são registros, provavelmente únicos, da existência de povos pré-históricos no litoral do Brasil.

Tombamento e registro
Para saber mais sobre o assunto, acesse as publicações da CNM: Preservação do Patrimônio Cultural: o Tombamento e o Registro de Bens Culturais e Patrimônio Cultural: o Tombamento e o Registro de bens culturais nos Estados. Além disso, assista à Roda de Conhecimento que esclarece o conteúdo dessas publicações que esclarece o conteúdo dessas publicações da área técnica de Cultura da Confederação.

Leia também
Meu Município, meu patrimônio: Porto Nacional (TO) aposta em potencial turístico para aquecer a economia

Município de Pirenópolis (GO) abriga patrimônios culturais materiais e imaterial do Brasil

Meu Município, meu patrimônio: mais de 80 cidades têm o conjunto urbano protegido

Por Amanda Martimon
Da Agência CNM de Notícias
Fotos: Paulo Tarso/Secretaria de Turismo de Laguna


Notícias relacionadas